Porto Alegre, sexta-feira, 13 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

conjuntura

Notícia da edição impressa de 04/12/2018. Alterada em 04/12 às 01h00min

Mercado reduz de 4,94% para 3,89% a estimativa do IPCA para 2018

A estimativa de instituições financeiras para a inflação este ano caiu pela sexta vez seguida. De acordo com pesquisa do Banco Central (BC), o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve ficar em 3,89%. Para 2019, a projeção da inflação passou de 4,12% para 4,11%.
A estimativa de instituições financeiras para a inflação este ano caiu pela sexta vez seguida. De acordo com pesquisa do Banco Central (BC), o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve ficar em 3,89%. Para 2019, a projeção da inflação passou de 4,12% para 4,11%.
A Selic deve permanecer em 6,5% ao ano na última reunião de 2018 do Comitê de Política Monetária (Copom), marcada para os dias 11 e 12 deste mês. Em 2019, a expectativa é de aumento da taxa básica, terminando o período em 7,75% ao ano, a mesma previsão da semana passada.
As instituições financeiras ajustaram a estimativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 1,39% para 1,32% em 2018. Para o próximo ano, a estimativa de crescimento do PIB passou de 2,50 para 2,53%.
A expectativa para a cotação do dólar subiu de R$ 3,70 para R$ 3,75, no fim deste ano, e passou R$ 3,78 para R$ 3,80, no término de 2019.
Focus - Projeção Semanal