Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 27 de novembro de 2018.
Dia do Técnico de Segurança do Trabalho. Dia Internacional de Combate ao Câncer.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

varejo

Edição impressa de 27/11/2018. Alterada em 27/11 às 01h00min

Confiança do consumidor tem maior nível em quase quatro anos e meio

O ICC (Índice de Confiança do Consumidor), medido pela FGV (Fundação Getulio Vargas), avançou 7,1 pontos de outubro para novembro. Com isso, atingiu 93,2 pontos, em uma escala de zero a 200 pontos, o maior nível desde julho de 2014 (93,8). Os dados foram divulgados ontem pela FGV.
Essa foi a segunda alta consecutiva do ICC, que acumula alta de 11,1 pontos no bimestre outubro-novembro, a maior da série histórica iniciada em setembro de 2005. As informações são da Agência Brasil.
Em novembro, os consumidores estão mais otimistas em relação tanto ao presente quanto aos próximos meses. O ISA (Índice de Situação Atual) subiu 2,7 pontos, indo para 74,6 pontos, maior nível desde maio (77,2).
Já o IE (Índice de Expectativas) cresceu 9,8 pontos e chegou a 106,4 pontos, o maior nível desde fevereiro de 2013 (106,7 pontos).
De acordo com a coordenadora da pesquisa, Viviane Seda, depois de um período de desconfiança, os consumidores voltaram a ficar otimistas em relação às perspectivas econômicas do País, às finanças familiares e ao emprego e também estão menos insatisfeitos com o presente.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia