Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 23 de novembro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

23/11/2018 - 17h22min. Alterada em 23/11 às 17h22min

Bolsas de Nova Iorque fecham em queda, pressionadas por petróleo em sessão abreviada

Estadão Conteúdo
As bolsas de Nova York fecharam em baixa nesta sexta-feira (23) em uma sessão reduzida por causa do feriado de quinta-feira (22) o Dia de Ação de Graças nos Estados Unidos. O setor de energia esteve mais pressionado, graças ao recuo forte do petróleo, mas também houve quedas nos setores financeiro, de tecnologia e de serviços de comunicação, no fim de uma semana bastante negativa para os índices acionários, diante do maior temor sobre a trajetória da economia global.
O índice Dow Jones fechou em baixa de 0,73%, em 24.285,95 pontos, e na semana recuou 4,44%. O Nasdaq teve queda de 0,48%, a 6.938,98 pontos, e na semana caiu 3,73%. O S&P 500 registrou baixa de 0,66%, a 2.632,56 pontos, e na semana recuou 3,79%. O S&P entrou hoje em território de correção técnica, caracterizado por uma queda de 10% em relação ao último pico, onde o Nasdaq já se encontrava.
O Dow Jones e o Nasdaq registraram a pior semana desde março. Hoje, o setor de energia foi penalizado pela forte baixa do petróleo. Entre as petroleiras, Chevron e Exxon recuaram 3,4% e 2,7%, respectivamente. Ambas integram o índice Dow Jones. Integrante do índice S&P, Concho Resources, de exploração de petróleo e gás, caiu 6,3%.
Analistas disseram, contudo, que o movimento foi exacerbado por volumes relativamente pequenos em negociação, por causa do feriado. De qualquer modo, continuou no radar dos investidores o temor de perda de fôlego no crescimento global, com tensões comerciais entre EUA e China, enquanto o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) continua a sinalizar que manterá o aperto monetário gradual.
Na agenda de indicadores, o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto dos EUA recuou de 54,9 em outubro a 54,4 em novembro, na mínima em dois meses, de acordo com a IHS Markit. Analistas ouvidos pela Trading Economics previam queda maior, a 54,3.
Entre as companhias de tecnologia, Facebook, Apple, Alphabet (controladora do Google) e Netflix tiveram queda hoje. No setor de varejo, Target caiu 2,8% em plena Black Friday, geralmente um dia bastante importante para a receita do setor. A companhia registrou queda de 15,5% nesta semana, após divulgar balanço, sua pior marca semanal desde 2008.
Entre os papéis em alta, Rockwell Collins se destacou com ganho de 9,2%, após conseguir aprovação da China para sua compra pela United Technologies. (Com informações da Dow Jones Newswires)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia