Porto Alegre, sábado, 14 de março de 2020.
Dia Nacional da Poesia. Dia do Vendedor de Livros.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

mercado financeiro

26/10/2018 - 08h06min. Alterada em 26/10 às 08h06min

Bolsas asiáticas fecham em baixa generalizada com queda de futuros de Nova Iorque

As bolsas asiáticas fecharam em baixa nesta sexta-feira  (26), em meio à retomada de preocupações com a perspectiva da economia global e diante do fraco desempenho dos futuros de índices acionários de Nova Iorque durante a madrugada.
As bolsas asiáticas fecharam em baixa nesta sexta-feira  (26), em meio à retomada de preocupações com a perspectiva da economia global e diante do fraco desempenho dos futuros de índices acionários de Nova Iorque durante a madrugada.
Ontem, as bolsas dos EUA tiveram um pregão de fortes ganhos - de cerca de 1,6% a 3% -, em um dia de correção após a acentuada desvalorização recente. No entanto, após o encerramento do pregão de quinta-feira (25), Amazon e Alphabet (controladora do Google) divulgaram balanços trimestrais decepcionantes que pressionaram os negócios do after hours em Nova Iorque e mantiveram os índices futuros americanos em baixa acentuada ao longo da madrugada.
Na China, as perdas dos mercados foram contidas hoje. O Xangai Composto caiu 0,19%, a 2.598,85 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto recuou 0,17%, a 1.290,62 pontos. Apesar do tom negativo desta sexta, o Shanghai e o Shenzhen acumularam na semana altas de 1,9% e 2,1%, respectivamente, graças principalmente a planos de incentivos fiscais revelados por Pequim no último fim de semana.
Em Tóquio, o índice japonês Nikkei teve baixa de 0,40%, a 21.184,60 pontos, renovando mínima desde 29 de março. O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, está no meio de uma visita oficial à China, durante a qual foram assinados memorandos de cooperação em infraestrutura e um acordo de swap cambial equivalente a quase US$ 29 bilhões.
Em outras partes da Ásia, o Hang Seng caiu 1,11% em Hong Kong, a 24.717,63 pontos, o menor patamar em 17 meses, o sul-coreano Kospi cedeu 1,75% em Seul, a 2.027,15 pontos, nível mais baixo desde janeiro de 2017, e o Taiex perdeu 0,33% em Taiwan, a 9,489.18 pontos.
Na Oceania, a bolsa australiana ficou praticamente estável hoje, graças a uma recuperação no fim da sessão de papéis financeiros e de mineradoras. O S&P/ASX 200 teve alta marginal de 0,02% em Sydney, a 5.665,20 pontos.