Porto Alegre, sábado, 14 de março de 2020.
Dia Nacional da Poesia. Dia do Vendedor de Livros.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

bebidas

25/10/2018 - 10h57min. Alterada em 25/10 às 10h57min

Ambev registra lucro de R$ 2,831 bilhões no 3º trimestre

Fabricante de bebidas apresenta o resultado com um impacto contábil da hiperinflação argentina

Fabricante de bebidas apresenta o resultado com um impacto contábil da hiperinflação argentina


AMBEV/DIVULGAÇÃO/JC
A Ambev registrou no terceiro trimestre lucro atribuído ao controlador de R$ 2,831 bilhões. O resultado se compara a R$ 200 mil registrados em igual período do ano passado, quando o resultado havia sido afetado por uma provisão para o Programa Especial de Regularização Tributária (PERT).
A Ambev registrou no terceiro trimestre lucro atribuído ao controlador de R$ 2,831 bilhões. O resultado se compara a R$ 200 mil registrados em igual período do ano passado, quando o resultado havia sido afetado por uma provisão para o Programa Especial de Regularização Tributária (PERT).
O lucro líquido ajustado foi de R$ 2,907 bilhões, queda de 10,2% sobre o mesmo período do ano passado, quando era de R$ 3,236 bilhões. A fabricante de bebidas apresenta o resultado com um impacto contábil da hiperinflação argentina. Após a categorização da Argentina como um país com a taxa de inflação acumulada em três anos superior a 100%, aplicou-se a norma "Contabilidade e Evidenciação em Economia Altamente Inflacionária" (IAS 29), do padrão IFRS, que resultou em ajuste positivo de R$ 115,4 milhões no resultado financeiro, impacto negativo no lucro líquido de R$ 273,4 milhões, e impacto negativo no lucro líquido ajustado de R$ 275,7 milhões.
A norma gerou um impacto negativo de R$ 573,8 milhões no Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado, que teve queda de 2,2% na comparação com o mesmo intervalo do ano anterior, para R$ 4,450 bilhões. Já no critério orgânico, aplicando-se taxas de câmbio constantes, o indicador teve crescimento de 9%. A margem Ebitda ajustado passou para 40,2%, de 40,1% no terceiro trimestre de 2017.
O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado da fabricante de bebidas ficou 13,8% abaixo do esperado. A média das estimativas apontava para R$ 5,162 bilhões.
A receita liquida consolidada caiu 2,6% para R$ 11,063 bilhões, de R$ 11,362 bilhões no terceiro trimestre de 2017. Excluindo efeitos de câmbio, a receita cresceu 5,8% no critério orgânico. A receita líquida da Ambev foi 11,9% menor do que previam os analistas, de R$ 12,570 bilhões.