Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 02 de outubro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Energia

Edição impressa de 02/10/2018. Alterada em 01/10 às 23h20min

Três empresas têm interesse em parque eólico da CEEE

Empreendimento terá 25 geradores e capacidade instalada de 52,5 MW

Empreendimento terá 25 geradores e capacidade instalada de 52,5 MW


/SPENCER PLATT/GETTY IMAGES/AFP/JC
Jefferson Klein
Encerrou-se ontem o prazo de cadastramento de empresas interessadas em adquirir o projeto do parque eólico Povo Novo, pertencente ao Grupo CEEE, que está com obras interrompidas no município de Rio Grande. Segundo o presidente da estatal, Urbano
Schmitt, três companhias candidataram-se para comprar o empreendimento. Por enquanto, o dirigente prefere não revelar o nome dos grupos, mas adianta que foram empresas individuais que se apresentaram, não consórcios.
A partir de agora, o Grupo CEEE, de posse das informações recebidas, procederá, no prazo de 10 dias úteis, a pré-seleção das empresas interessadas, podendo solicitar documentos, informações e esclarecimentos adicionais que julgar necessários. Após essa etapa, se não houver recursos ou outros contratempos, as companhias pré-selecionadas deverão elaborar e encaminhar uma proposta de negócio no prazo de cinco dias úteis. Essas propostas serão apresentadas em envelopes fechados.
A usina eólica está inacabada, e o seu cronograma, atrasado em mais de dois anos. O Grupo CEEE esperava obter recursos do Bndes ou do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para desenvolver a estrutura, mas a expectativa não se confirmou. O presidente da estatal adianta que uma das intenções, ao repassar a responsabilidade do empreendimento, é evitar possíveis penalidades impostas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Estima-se que as multas e outros ônus com esse assunto poderiam impactar em até R$ 80 milhões os cofres da companhia.
Cerca de 34% da obra do parque eólico em Rio Grande já foi feita, com investimento em torno de R$ 140 milhões, sendo que, para completá-la, será necessário aplicar mais cerca de R$ 210 milhões. O parque terá uma capacidade instalada de 52,5 MW (1,5% da demanda média de energia do Estado). O complexo eólico é formado pelo conjunto das centrais geradoras Povo Novo, Fazenda Vera Cruz e Curupira, e terá 25 aerogeradores.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia