Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 03 de outubro de 2018.
Dia do Petróleo Brasileiro. Dia Mundial do Dentista.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Negócios Corporativos

Edição impressa de 03/10/2018. Alterada em 02/10 às 23h28min

Boulevard gera impasse entre empresa Fraport e família Zaffari

Centro de serviços, com foco em alimentação, foi inaugurado em 2012; contrato teria vencido em julho

Centro de serviços, com foco em alimentação, foi inaugurado em 2012; contrato teria vencido em julho


/MARCELO G. RIBEIRO/JC
Patrícia Comunello
Uma negociação que era mantida de forma privada acabou vindo a público após nota de esclarecimento divulgada pela concessionária do Aeroporto Internacional Salgado Filho, hoje Porto Alegre Airport, a alemã Fraport. A empresa quer reajustar o aluguel da área onde está instalado o Boulevard Laçador, às margens da Avenida dos Estados e num terreno ao lado da pista do Salgado Filho. A Fraport assumiu a administração e responsabilidade sobre a área da União em 1 de janeiro deste ano. Já o empreendimento de serviços, com foco em alimentação, pertence a integrantes da família Zaffari e foi inaugurado em 2012. 
Na área, também está o avião Douglas DC-3 e um galpão com objetos do Museu da Varig, companhia já extinta que surgiu em Porto Alegre e que foi um ícone da aviação comercial brasileira até a década de 1990. A aeronave é um dos atrativos para frequentadores do Boulevard em fins de semana, principalmente. Segundo a Fraport, a locação do espaço onde estão o avião e o acervo do museu não terá alteração de valor.
Ao divulgar a negociação, a concessionária informou que os donos do empreendimento não respondiam ao pedido de revisão da locação. Segundo a alemã, o contrato venceu em julho, por isso a busca de reajuste do valor que não foi divulgado. Como chamou a atenção, nas últimas semanas, a instalação de tapumes na cerca que separa o Boulevard da pista, a Fraport esclareceu que são proteções ligadas às obras do aeroporto e não a eventual mudança na ocupação do Boulevard.   
"A Fraport Brasil - Porto Alegre informa que está ciente da importância e interesse público da Varig. No entanto, é importante separar o Museu Varig do negócio comercial da família Zaffari", diz a Fraport, em nota. O esclarecimento foi feito porque informações que vieram a público davam conta que a correção atingiria a área do museu. "A única diferença é que pedimos à família Zaffari que pague um valor justo pela área que eles estão usando e explorando comercialmente. Estamos em contato com eles muito antes do término do contrato", completa a empresa que hoje detém os direitos sobre a área do aeroporto. 
A Fraport chegou a indicar que os donos do Boulevard Laçador não haviam retornado aos pedidos para redefinir as condições da locação. Já a assessoria da família Zaffari informou que mantém contato e que "fez reuniões sobre a renovação do contrato" em agosto. "Há, no entanto, um impasse, pois a empresa questiona a nova proposta da Fraport, que inclui um aumento de mais de 300% do valor do contrato", alegaram, por meio de nota, os Zaffari. Mas a família diz que o alvo da renegociação incluiria a área onde está Douglas DC-3, restaurado pela rede e com visitação gratuita, fato negado pela Fraport.   
Desde essa segunda-feira, as duas partes retomaram as conversações, confirma a concessionária. Sobre a reclamação da família Zaffari a respeito do nível de reajuste, a empresa alega: "Estamos propondo um valor justo. Detalhes de contratos e negociações comerciais são confidenciais". 
A Fraport negou ainda que tivesse proposto reajuste do valor que a TAP Manutenção paga pela área onde tem as oficinas no sítio aeroportuário, ao lado do Boulevard. O Sindicato dos Aeroviários de Porto Alegre apontou, em reportagem do Jornal do Comércio, que o aumento do aluguel seria um dos motivos para fechar a unidade na Capital, que deve ocorrer até dezembro. A Fraport explicou que buscou a empresa para renovar o contrato em janeiro passado com os mesmos termos, mas a TAP Manutenção teria decidido não seguir a locação dos hangares.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia