Porto Alegre, sábado, 14 de março de 2020.
Dia Nacional da Poesia. Dia do Vendedor de Livros.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Inovação

09/09/2018 - 22h10min. Alterada em 09/09 às 22h09min

Startup cria aplicações para robôs de serviços

XRobô fechou contrato para distribuição de humanoides chineses

XRobô fechou contrato para distribuição de humanoides chineses


/XROBÔ/DIVULGAÇÃO/JC
Patricia Knebel
Em um futuro bem mais próximo do que talvez imaginávamos, lojas, escritórios, shoppings, hotéis, hospitais e consultórios poderão ter um robô de serviço para atendimento ao cliente. Iniciativas como essa já acontecem no mundo e, se depender da XRobô, será uma realidade no Brasil em breve.
Em um futuro bem mais próximo do que talvez imaginávamos, lojas, escritórios, shoppings, hotéis, hospitais e consultórios poderão ter um robô de serviço para atendimento ao cliente. Iniciativas como essa já acontecem no mundo e, se depender da XRobô, será uma realidade no Brasil em breve.
Primeira startup especializada em criar aplicações práticas para robôs de serviços que fazem atendimento no comércio e até residências, a empresa com sede em São Paulo tem como meta lançar os primeiros robôs capazes de pensar e agir em português ainda este ano.
"Avanços cada vez mais significativos em inteligência artificial, internet das coisas e robótica estão a um passo de alterar radicalmente a maneira como funciona nossa sociedade", afirma o CEO da XRobô, André Araújo.
Os robôs de serviço são considerados a nova plataforma de hardware depois dos smartphones. Os computadores evoluíram desde os mainframe, que na época eram computadores de grande porte, mas com baixa capacidade de processamento se comparados ao que temos hoje no mercado, para os desktops. Depois vieram os notebooks e, finalmente, os smartphones.
"A partir de agora, a evolução natural nos leva a novas plataformas de hardware com capacidade de locomoção e que interpretam voz e fala", relata. Estas tecnologias surgiram para uso comercial com preços acessíveis há cerca de cinco anos - neste período, os preços caíram cerca de 80%. Robôs de serviço doméstico já estão sendo vendidos na Ásia e nos Estados Unidos por cerca de US$ 2 mil. "Essa é a tendência mundial e que começa a bater à porta para entrar no Brasil, que é um importante e estratégico mercado", acrescenta. A International Federation of Robotics estima em 1,7 milhão a população de novos robôs de serviços até 2020.
A empresa estreia no mercado com dois focos. O primeiro é o fornecimento dos robôs. Para isso, fechou contrato de distribuição no País de humanoides como o Sanbot KingKong e o Elf, da chinesa QihanSanbot, e a criação de aplicações sob medida para diferentes necessidades do mercado corporativo.
A aposta da XRobô nesse mercado é grande e já está no roadmap de desenvolvimento da empresa aplicações pra segmentos como Educação (robôs atuando como assistentes e auxiliares de Ensino Fundamental e Médio), Saúde (como cuidador e assistente em hospitais e clínicas), Hotelaria (como concierge) e restaurantes, bancos, shoppings e aeroportos (como atendente e auxiliar de informações). E isso apenas para citar algumas oportunidades vislumbradas.
"O robô em si precisa de aplicações, ou seja, de softwares customizados, para que atuem em cada setor específico. E são essas aplicações que estamos desenvolvendo. É uma nova realidade com potencial incrível e que finalmente chega ao mercado brasileiro", destaca.
Quando o assunto é garantir que o relacionamento das pessoas com os robôs seja mais eficaz, o maior desafio é, justamente, tornar o robô o mais natural possível, ao ponto que não seja percebido como apenas uma máquina pelo ser humano. Neste sentido, a evolução da tecnologia vem fazendo com que este gap seja cada vez menor. "Estamos usando Inteligência Artificial e aprendizado de máquina nesse tipo de robôs, além de trabalhar em conjunto com consultores de sistemas de CRM e especialistas em atendimento para que contribuam no desenvolvimento dos software que implementamos nos robôs. O objetivo é tornar a experiência de interação cada vez mais natural e amigável entre humanos e robôs", relata Araújo.

São Leopoldo recebe o 2º Startup Weekend

Acontece nos dias 14, 15 e 16 de setembro o 2º Startup Weekend, no Tecnosinos, em São Leopoldo. A programação, organizada pela Techstars, envolve três dias de imersão para ajudar a tornar ideias empreendedoras em realidade. As inscrições podem ser feitas pelo site https://bit.ly/2MFenKk.
A dinâmica do Startup Weekend é centrada na resolução de um problema real, que deve abranger questões sociais, educacionais, financeiras, ambientais entre outros aspectos que possam colaborar para superar determinada situação. Os participantes formarão equipes e deverão solucionar a questão social determinada aliando ideias e tecnologias.
Os projetos serão avaliados por mentores experientes no mundo da inovação, startups e negócios. Os empreendedores poderão apresentar suas ideias de negócio aos demais presentes na atividade, com o objetivo de formar as equipes. A partir daí, serão dois dias para o desenvolvimento do negócio, passando por todas as fases do projeto.