Porto Alegre, sábado, 14 de março de 2020.
Dia Nacional da Poesia. Dia do Vendedor de Livros.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

mercado financeiro

03/09/2018 - 11h31min. Alterada em 03/09 às 11h31min

Sem Nova Iorque e com cautela política, Ibovespa opera no negativo

O Ibovespa abriu a sessão de negócios desta segunda-feira (3) no negativo, e segue operando em queda, com os investidores locais mostrando cautela e sem o referencial de seus pares norte-americanos pelo feriado nos Estados Unidos, do Dia do Trabalho.
O Ibovespa abriu a sessão de negócios desta segunda-feira (3) no negativo, e segue operando em queda, com os investidores locais mostrando cautela e sem o referencial de seus pares norte-americanos pelo feriado nos Estados Unidos, do Dia do Trabalho.
Às 11h05min, o volume de negócios era comedido não chegando a R$ 1 bilhão. Neste mesmo horário, o principal índice da Bolsa recuava 0,61%, aos 76.213,39 pontos.
A perspectiva de volatilidade segue para esta semana. O Ibovespa encerrou a semana passada com ganhos acumulados de 0,54%, mas não foi possível reverter a queda de pouco mais de 3% em agosto.
De acordo com Luiz Mariano De Rosa, sócio da Improve Investimentos, ainda com a ausência dos mercados americanos, o humor dos investidores é influenciado pelo exterior com a continuidade da tensão comercial, a crise de emergentes, principalmente Turquia e Argentina, e das incertezas sobre a corrida eleitoral doméstica.
Pela manhã, o presidente da Argentina, Maurício Macri, anunciava que os detalhes técnicos do novo acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI) estarão prontos em poucos dias e que poderá acabar com as dúvidas dos investidores sobre o financiamento do país em 2019.Em meio à crise fiscal, o governo argentino estabeleceu um imposto sobre exportação e reduzir o número de ministérios a menos da metade.
No final semana, os Estados Unidos e Canadá não conseguiram chegar a um acordo comercial, mas há uma nova reunião marcada para a próxima quarta-feira. "Há bastante coisa no radar lá fora incomodando. Essas questões batem no dólar, que abriu em alta forte, e acabam afetando a Bolsa", notou o profissional da Improve.
No plano doméstico, De Rosa lembra que o desenrolar das notícias sobre a impugnação da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), na madrugada de sábado, deve repercutir nos negócios.
No radar da semana, após o início do horário eleitoral no rádio e televisão, duas novas pesquisas serão divulgadas e têm potencial de mexer com o humor dos mercados.
O Ibope divulga na terça-feira e o Datafolha na quinta-feira pesquisas que devem mostrar o real cenário na corrida presidencial. Nas pesquisas divulgadas recentemente, Bolsonaro figurava como líder absoluto, na ausência do ex-presidente petista.