Porto Alegre, sábado, 14 de março de 2020.
Dia Nacional da Poesia. Dia do Vendedor de Livros.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Mercado Financeiro

30/08/2018 - 14h40min. Alterada em 30/08 às 14h41min

BC vende 30 mil contratos de swap cambial em intervenção no dólar

Operação foi dividida em dois leilões e envolveu contratos para colocou contratos para dois vencimentos

Operação foi dividida em dois leilões e envolveu contratos para colocou contratos para dois vencimentos


MARCOS SANTOS/USP IMAGENS/IMAGENS PUBLICAS/DIVULGAÇÃO/JC
Em meio à alta firme do dólar ante o real, o Banco Central decidiu atuar no mercado de câmbio. A instituição vendeu 30.000 contratos de swap cambial (US$ 1,5 bilhão) nesta quinta-feira (30). Dividida em dois leilões, a operação, cujo efeito é equivalente à venda de dólares no mercado futuro, foi a primeira oferta de swap cambial que representa injeção de recursos novos no sistema desde 22 de junho.
Em meio à alta firme do dólar ante o real, o Banco Central decidiu atuar no mercado de câmbio. A instituição vendeu 30.000 contratos de swap cambial (US$ 1,5 bilhão) nesta quinta-feira (30). Dividida em dois leilões, a operação, cujo efeito é equivalente à venda de dólares no mercado futuro, foi a primeira oferta de swap cambial que representa injeção de recursos novos no sistema desde 22 de junho.
O BC colocou contratos para dois vencimentos. Na primeira operação, das 13h20 às 13h30, o BC vendeu 4.400 contratos (US$ 220,0 milhões) para 1º de novembro de 2018, com taxas nominal de 3,7272% e linear de 3,645%. O PU mínimo ficou em 99,376200 e não houve porcentual de corte.
Para 1º de abril de 2019, foram negociados 9.450 contratos, no valor de US$ 472,5 milhões, com taxas nominal de 4,0310% e linear de 4,000%. O PU mínimo ficou em 97,688000 e não houve porcentual de corte.
No segundo leilão, foram negociados 601 contratos, no valor de US 30 milhões, para 1º de novembro de 2018, com taxas nominal de 7,9797% e linear de 7,750%. O PU mínimo ficou em 98,682900 e não houve porcentual de corte.
Já para 1º de abril de 2019, foram negociados 15.549 contratos, no valor de US 777,4 milhões, com taxas nominal de 5,7098% e linear de 5,670%. O PU mínimo ficou em 96,754100 e o porcentual de corte foi de 82,60%.
O BC afirmou, por meio de nota, que suas intervenções visam "prover liquidez e garantir o bom funcionamento do mercado cambial e, portanto, do regime de câmbio flutuante".
"O regime de câmbio flutuante é a primeira linha de defesa. Os instrumentos cambiais utilizados pelo BC permitem que o regime de câmbio flutuante possa amortecer os choques da melhor forma", disse o BC na nota. "A intensidade e a frequência das intervenções dependerão da dinâmica e das disfuncionalidades observadas no mercado."
A instituição reiterou ainda que "sua atuação no mercado cambial é separada de sua política monetária, não havendo, portanto, relação mecânica entre a política monetária e os choques recentes".
Com informações da Agência Estado