Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 27 de agosto de 2018.
Dia do Psicólogo e do Corretor de Imóveis.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 27/08 às 22h01min

Anúncio de acordo comercial EUA-México faz dólar cair ante rivais e emergentes

Estadão Conteúdo
O dólar caiu ante a maioria das moedas rivais e de países emergentes nesta segunda-feira (27), com o anúncio de um entendimento comercial entre os Estados Unidos e o México, que distensionou a atmosfera no comércio global. Ambos os países disseram esperar que o Canadá se reincorpore à negociação trilateral no âmbito do Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta, na sigla em inglês) - o acordo propagado hoje, embora se sobreponha ao Nafta, é de ordem bilateral -, fazendo com que a divisa americana recuasse em relação tanto ao peso mexicano quanto ao dólar canadense.
Perto do horário de fechamento em Nova Iorque, o dólar tinha baixa a 111,09 ienes, enquanto o euro avançava a US$ 1,1680 e a libra subia a US$ 1,2894. Na mesma marcação, a moeda americana descia a 1,2964 dólar canadense e cedia a 18,7908 pesos mexicanos.
Apesar do bom humor nos mercados globais, com o incremento do apetite ao risco, os próximos passos na formalização do pacto EUA-México podem se mostrar traiçoeiros, uma vez que a Casa Branca, para adequar o prazo de 90 dias que o Congresso americano tem para revisar o novo acordo comercial à iminência da posse do novo presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, terá de apresentar o documento oficial ao Legislativo até sexta-feira.
Americanos e mexicanos manifestaram o desejo de alcançar a concórdia também com o Canadá ainda nesta semana.
De qualquer forma, o apaziguamento da tensão comercial com a política tarifária de Washington trouxe a investidores a expectativa de que avanços sejam anunciados nas tratativas com a União Europeia, por exemplo, dando suporte à alta do euro ante o dólar.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia