Porto Alegre, sábado, 14 de março de 2020.
Dia Nacional da Poesia. Dia do Vendedor de Livros.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Tecnologia

27/08/2018 - 22h33min. Alterada em 28/08 às 09h39min

Tecnopuc tem projeto inédito para aumentar número de startups do Estado

Prikladnicki (e) e Audy falam sobre as expectativas para o projeto

Prikladnicki (e) e Audy falam sobre as expectativas para o projeto


/CLAITON DORNELLES/JC
Patricia Knebel
Trinta e cinco startups hoje, 120 em 2019 e mil em 10 anos. Os gestores à frente do Parque Científico e Tecnológico da Pucrs (Tecnopuc) comemoram os 15 anos de atuação do empreendimento com uma meta ambiciosa.
Trinta e cinco startups hoje, 120 em 2019 e mil em 10 anos. Os gestores à frente do Parque Científico e Tecnológico da Pucrs (Tecnopuc) comemoram os 15 anos de atuação do empreendimento com uma meta ambiciosa.
Desde que foi inaugurado, cerca de 180 jovens empresas foram criadas nesse ambiente - o que se espera, agora, é chegar a mil em dois terços do tempo. Mas não convém duvidar. Até porque a estratégia para alcançar esse objetivo já está sendo traçada: aproximar os estudantes da Pucrs das iniciativas do parque.
Para isso, está sendo montado um projeto com a área acadêmica da universidade para que todos os alunos das escolas Politécnica, de Negócios e de Medicina - cerca de 9 mil - passem, pelo menos, um semestre no Tecnopuc vivenciando a experiência de montar uma empresa.
"Queremos converter essa iniciativa em uma grande oportunidade para os estudantes saírem do paradigma do emprego para o do trabalho. Isso significa despertar neles a chama do empreendedorismo. Se conseguirmos converter de 10% a 20% dessas iniciativas em empresas de verdade, será maravilhoso", destaca o Superintendente de Inovação e Desenvolvimento da Pucrs, Jorge Audy.
O espaço para abrigar esse sonho já está sendo preparado. É o prédio anteriormente ocupado pela Dell, o primeiro simbolicamente inaugurado dentro do Tecnopuc. Quando a companhia deixou a área, os gestores do parque decidiram fazer algo diferente. "Poderíamos ter colocado outra grande corporação aqui, mas fechamos o espaço para destinar para esse sonho. O nosso futuro são as startups", projeta Audy, que foi um dos idealizadores do Tecnopuc.
A área já está em obras. O mobiliário foi doado pela HP e pela Dell - além disso, cerca de 10 empresários vão atuar como investidores para ajudar a tirar esse projeto do papel. Cada conjunto de baia será dedicado a uma jovem empresa - e as atividades ali desenvolvidas farão parte do currículo dos cursos. "Teremos, aqui, 2,2 mil metros quadrados de coworking - somando com o restante do Tecnopuc, serão 3 mil metros quadrados. É, possivelmente, a maior área de Porto Alegre destinada a esse tipo de atividade", analisa o diretor do Tecnopuc, Rafael Prikladnicki.
A perspectiva é que, em 2019, já estejam em operação ali de 60 a 90 startups. "Já existem cases importantes de criação de negócios inovadores dentro do parque. A diferença, agora, é que estamos criando um ambiente propício para escalar o surgimento das startups e para ajudá-las a fazer a diferença e terem um impacto global. E isso só vai acontecer se conectarmos o que temos aqui com ambiente acadêmico de forma mais intencional e proativa", relata.
Nem todas as mil startups almejadas estarão instaladas dentro do parque. Não haveria espaço físico para isso, e, segundo Prikladnicki, essa nem é a ideia. "Esse projeto supera a questão do espaço físico. Queremos transbordar o Tecnopuc para a cidade e desenvolver um conceito em que possamos ter empresas orbitando, onde quer que estejam, mas conectadas com programa de startups do Tecnopuc", acrescenta.
O projeto, que ainda está em fase de aprovação pela Pucrs, é uma das iniciativas resultantes do novo modelo de governança da área e de gestão do Tecnopuc. A universidade conta, agora, com uma Superintendência de Inovação e Desenvolvimento, coordenada por Audy e ligada diretamente à reitoria, responsável pela gestão de todo o ecossistema de inovação. Já o parque agrupa as iniciativas de gestão do ambiente físico, geração de startups, criatividade, ações de impacto social, gestão de projetos e prospecção e negociação. A Incubadora Raiar saiu de cena como marca, e o Tecnopuc Startups passa a ser o ambiente voltado ao fomento a startups, incubação, aceleração e coworking.
"O que queremos para os próximos 15 anos é uma estrutura mais leve, mais ágil (atuar mais articulando do que executando), mais conectada e global", destaca Audy. Os próximos 15 anos devem se caracterizar pela maior interação e responsabilidade com o protagonismo do desenvolvimento econômico, social e cultural de Porto Alegre. "Nos abrimos dessa forma radical porque entendemos que temos uma responsabilidade com o desenvolvimento desse ecossistema. Queremos explorar esse potencial, mas não vamos conseguir sozinhos. O clima de mudar a cidade por meio da inovação tem que estar presente em todos", destaca.

O Tecnopuc

O Tecnopuc abriga mais de 150 organizações, entre gigantes globais - como Microsoft, Apple, Santander Getnet, HP, HPE, ThoughtWorks e Oracle, cuja unidade será inaugurada em breve - e empresas nacionais - como DB Server, UOL, Stefanini, LifeMed e Toth.

Mais de 6,5 mil atuam no ambiente. Fazem parte da estrutura ainda institutos e centros de pesquisa como o Instituto do Cérebro (InsCer), Smart City Innovation Center Pucrs Huawei, Instituto do Petróleo e dos Recursos Naturais (IPR) e Centro Tecnológico Audiovisual do RS (Tecna), além de diversos mecanismos de geração de empreendimentos.

Desde a sua fundação, em 2003, o parque quadruplicou sua área construída, passando dos iniciais 20 mil metros quadrados para mais de 90 mil. O empreendimento foi eleito três vezes o Melhor Parque Científico e Tecnológico do Brasil pela Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec).