Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 22 de agosto de 2018.
Dia do Folclore.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

o futuro da terra

Edição impressa de 22/08/2018. Alterada em 22/08 às 13h32min

Safras & Cifras apoia produtores na sucessão

Iribarrem fundou empresa que hoje está em expansão no País

Iribarrem fundou empresa que hoje está em expansão no País


/SAFRAS&CIFRAS/DIVULGAÇÃO/JC
A profissionalização da sucessão está em alta no agronegócio brasileiro e diversos fatores apontam para a importância desse tema. O aumento dos índices de longevidade da população coloca diferentes gerações trabalhando juntas, o que, muitas vezes, leva a conflitos - que, por sua vez, precisam ser gerenciados para não prejudicarem os negócios.
Soma-se a isso o fato de que as famílias têm cada vez menos filhos, o que reduz as opções no momento em que o fundador precisa definir quem será seu sucessor. Além disso, ao longo dos anos, muitos filhos de produtores rurais se acostumaram a ouvir seus pais reclamarem da geada, das chuvas ou do excesso de seca, que prejudicam a safra. Como fazer, então, com que eles tenham interesse de permanecer nessa área?
"Se não for feito um trabalho realmente profissional, o fundador pode acabar ficando sem sucessor. Além disso, um processo sucessório organizado ajuda a diminuir o êxodo rural", alerta o sócio-fundador da Safras & Cifras, Cilotér Borges Iribarrem.
A companhia, que tem como missão ser uma referência no mercado de consultoria no agronegócio para empresas rurais familiares, investiu nos últimos anos em um time multidisciplinar especializado para apoiar os clientes no seu planejamento sucessório, implementação de governança, e planejamento tributário. O foco do processo é manter a família unida, proteger o patrimônio, minimizar os conflitos, contribuir no crescimento do negócio, facilitar a sucessão, garantir os direitos dos fundadores, minimizar as disputas judiciais entre os sucessores e reduzir os custos da transmissão do patrimônio, para garantir a continuidade.
A metodologia do trabalho de governança e sucessão envolve formatos importantes para levar conhecimento aos produtores rurais, através de palestras, treinamentos e a consultoria direta aos produtores. Tudo começa com o entendimento das características e necessidades da família e do negócio, desenvolvendo um projeto personalizado. A implementação completa do trabalho geralmente se dá em 1,5 ano.
Ele ressalta que a Safras & Cifras de fato realiza o que prega para os clientes. "Temos todo o nosso processo sucessório definido. Quando eu ou qualquer outro sócio nos retirarmos do negócio, já estão definidas as regras de saída, transferência de cotas, acertos, bem como, as regras de entrada de novos sócios", conta.
A Safras & Cifras iniciou as suas operações em 1990, em Pelotas, onde até hoje fica a sua sede. Tendo sempre como foco o setor rural, inicialmente oferecia soluções para o controle financeiro, e depois, passou a agregar a área fiscal e fundiária. Em 2008, veio a aposta na área de governança e sucessão, que hoje concentra grande parte dos negócios.
A empresa vem fazendo uma grande expansão - hoje está presente em 15 estados e no Distrito Federal. Os escritórios estão em Pelotas, Porto Alegre, Uruguaiana, Castro (PR) e Goiânia (GO). Em julho, iniciou a atuação internacional, atendendo empresários rurais no Paraguai. Iribarrem gosta de citar alguns números que mostram o perfil da operação. São 132 profissionais, entre advogados, contadores, administradores, psicólogos, agrônomos entre profissionais de outras áreas. "A multidisciplinaridade é muito importante. Somos uma das poucas empresas do Brasil que atende completamente governança e sucessão em todas as áreas", destaca.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Francisco Berta Canibal 22/08/2018 07h28min
Seria necessário e saudável, diante do quadro atual da economia brasileira apresentar as famílias, uma projeção de ao menos os próximos dez anos, pois estamos em tempo de transição, e a terra vale, e os resultados do agronegócio são pífios comparados a outras atividades. Inclusive as exigências de hoje serão consideradas amanhã primarias comparadas o que vem pela frente, o mercado e as relações humanas por leis serão cobradas do setor rural. Esta é minha modesta contribuição.