Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 15 de agosto de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

empresas

15/08/2018 - 17h38min. Alterada em 15/08 às 18h00min

Grupo Abril entra com pedido de recuperação judicial

Folhapress
O Grupo Abril entrou com pedido de recuperação judicial nesta quarta (15), quatro semanas depois de entregar sua gestão à consultoria de reestruturação Alvarez & Marsal. No período, o novo presidente do grupo, Marcos Haaland, que é diretor-executivo da consultoria, comandou cortes de pessoal e de títulos, preparando a Abril para a recuperação.
O pedido protocolado, segundo comunicado, abrange "todas as companhias operacionais, incluindo a Abril Comunicações e as empresas de distribuição de publicações e de encomendas". O grupo justificou a decisão afirmando que visa "buscar proteção judicial para a repactuação de seu passivo junto a bancos e fornecedores e, dessa forma, garantir sua continuidade".
 A seguir, a íntegra do comunicado:
Abril protocola pedido de recuperação judicial
O Grupo Abril comunica que protocolou na data de hoje um pedido de recuperação judicial de suas empresas na vara de recuperação judicial e falências de São Paulo, conforme definido nos artigos 47 e 48 da Lei 11.101/2005. Esse pedido engloba todas as companhias operacionais do Grupo, incluindo a Abril Comunicações e as empresas de distribuição de publicações, agrupadas dentro da Dipar Participações, e de distribuição de encomendas Tex Courier. Esse movimento se deve à necessidade do grupo em buscar proteção judicial para a repactuação de seu passivo junto a bancos e fornecedores e, dessa forma, garantir sua continuidade operacional.
Nos últimos anos, o setor vem passando por uma profunda transformação tecnológica que afetou fortemente as empresas de mídia, no Brasil e no mundo, com impacto na circulação de revistas e na receita de publicidade. A Abril vem se ajustando a essa nova realidade através de redução de custos e despesas. Recentemente, promoveu uma ampla adequação de seu portfolio de produtos buscando um equilíbrio econômico-financeiro.
Porém, uma situação de instabilidade junto a seus credores e ações abruptas de restrição de seu capital de giro levaram o grupo a seguir pelo caminho da proteção judicial. A Abril reforça que continuará operando normalmente e fornecendo a seus leitores produtos de alta qualidade editorial, em compromisso com sua história na imprensa brasileira e em respeito aos seus públicos e parceiros.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia