Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 02 de agosto de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Indústria

Edição impressa de 02/08/2018. Alterada em 01/08 às 22h27min

Atlas prevê alta de 20% da produção com nova planta

Operações da fábrica de pincéis foram integradas com as de acessórios

Operações da fábrica de pincéis foram integradas com as de acessórios


/MARCELO G. RIBEIRO/JC
Jefferson Klein
A nova fábrica da empresa Atlas (antiga Pincéis Atlas, a troca de nome ocorreu em junho), inaugurada ontem, em Esteio, fará com que a companhia incremente sua produção e receita. Com o empreendimento, o grupo projeta aumentar em, aproximadamente, 20% sua capacidade de produção, passando de um faturamento anual de cerca de R$ 400 milhões para R$ 480 milhões.
O diretor-geral da Atlas, José Márcio Atz, informa que a nova planta absorveu um investimento em torno de R$ 40 milhões. Com a iniciativa, a empresa integrou as operações da sua fábrica de pincéis com a de acessórios para pintura em um único complexo dentro do parque fabril da InBetta (controladora da companhia).
Atz detalha que, originalmente, a Atlas possuía uma unidade na BR-116, em Esteio, do lado oposto do parque da InBetta (antes conhecida como Grupo Bettanin). O futuro do espaço da antiga fábrica, conforme o diretor-presidente da InBetta, Eduardo Bettanin, ainda está em discussão. O executivo adianta que uma possibilidade é o aproveitamento para um projeto imobiliário ou a utilização como uma área de depósito.
Atz e Bettanin detalharam as expectativas quanto à nova planta durante a 21ª Construsul - Feira Internacional da Construção, iniciada ontem no Centro de Exposições da Fiergs, na capital gaúcha. Entre os benefícios da nova estrutura e da integração estão uma maior agilidade dos serviços, otimização logística, racionalização dos custos operacionais, melhor alinhamento das áreas técnicas e de gestão.
Com a nova planta, a Atlas passará de um total de 500 empregados para 560 funcionários. Além da unidade no Rio Grande do Sul, a empresa conta com mais dois centros de distribuição em São Paulo e Pernambuco, e outra fábrica no município pernambucano de Paulista.
A meta da Atlas para 2018 era crescer entre 9% e 10%; entretanto, Atz admite que esse percentual pode ficar um pouco abaixo das projeções iniciais. O executivo recorda que a greve dos caminhoneiros, em meados deste ano, acabou atrapalhando o mercado. A empresa possui 750 itens para pintura, como pincéis, rolos, trinchas, abrasivos, adesivos, selantes etc. A perspectiva é de que, neste ano, mais 140 novos produtos sejam lançados em várias categorias. As exportações dos artigos da companhia têm como destino mais de 70 países e representa 10% da receita da companhia.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia