Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 24 de julho de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Tecnologia

Edição impressa de 24/07/2018. Alterada em 24/07 às 10h43min

Cresce número de startups com soluções na área de TI, diz estudo

Oportunidades para jovens empresas é apoiar times de grandes corporações

Oportunidades para jovens empresas é apoiar times de grandes corporações


DANI FORTES/DIVULGAÇÃO/JC
Patricia Knebel
A construção de novos produtos e solução passa, cada vez mais, pelo conceito de user-driven - quando usuários e clientes ajudam a direcionar o que está sendo desenvolvido. É o que aponta o Liga Insights IT Startups, estudo sobre startups do setor de Tecnologia da Informação (TI) realizado pela Liga Ventures, aceleradora corporativa.
E nesse quesito, as startups estão muito bem posicionadas. "A maioria das empresas tradicionais acha que o produto delas é o centro do mundo, mas as startups está ouvindo muito o cliente para só então construir o produto. Faz parte do DNA delas", explica o startup hunter da Liga Ventures, Raphael Augusto.
O levantamento revela que existe no Brasil 117 startups com soluções para as áreas de TI. A maioria foi criada em 2015 (21%), seguido de 2018, que já é responsável por 19%. "O ambiente para os negócios das jovens empresas e a cultura empreendedora estão ficando mais maduros, e isso tem se refletido no crescimento de mais startups, inclusive das especializadas no setor de TI", avalia o gestor.
Das startups de TI brasileiras, 20% trabalham com Data Science e Enriquecimento de Dados, 12% com Segurança, Fraude e Validação e 10% com Cloud Manager e Otimização. Gestão de Projetos, Tempo e Tarefas ficam com 9% desse total. As categorias com menor número de startups são: Colaboração e Produtividade (5%), Blockchain e APIs, representando 3%, assim como soluções para UX e UI. Para chegar a esse resultado, foi analisado um banco de dados com mais de 10 mil startups no País.
A estimativa é que, ao se aproximar das startups, o mercado de TI consiga aplicar ainda mais tecnologia na solução de problemas enfrentados por grandes corporações neste setor. Segundo Augusto, a grande oportunidade para as startups nesta área é desenvolver soluções que auxiliem o dia a dia dos times de TI, como gestão de equipes e de horas, workflow e help desk.
"As equipes de TI absorvem cada vez mais atividades e posições estratégicas dentro das empresas. O uso de tecnologias de ponta e aplicações focadas para responder às demandas dos clientes e novos mercados, tornam as startups importantes parceiras nesta missão da área", comenta.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia