Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 16 de julho de 2018.
Dia do Comerciante .

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Turismo

Notícia da edição impressa de 16/07/2018. Alterada em 15/07 às 21h44min

Brasileiros são a maioria dos turistas nos destinos de neve no Hemisfério Sul

Estação de esqui do Valle Nevado é um dos destinos mais buscados na América do Sul

Estação de esqui do Valle Nevado é um dos destinos mais buscados na América do Sul


POINT DA NEVE/DIVULGAÇÃO/JC
Adriana Lampert
Entre junho e setembro, o frio é um dos muitos atrativos do Hemisfério Sul, que tem no Chile e na Argentina os principais destinos para os brasileiros. Montanhas nevadas e lagos encantam desde praticantes de esportes radicais, como esqui e snowboard, passando por casais em lua de mel, até famílias inteiras em época de férias escolares. Os brasileiros são a maioria dos visitantes de lugares como Bariloche, Las Leñas e Ushuaia,  na Argentina, ou Valle Nevado, Portillo e Chillán, no Chile. Segundo o sócio-diretor da agência Point da Neve, Cristiano Reis Simões, nos últimos quatro anos a procura cresceu de 50% a 60%.
"Culturalmente, por estar próximo, tem muito gaúcho que viaja para as estações de esqui do Chile e da Argentina em julho, mas também os paulistas, cariocas e pessoal do Norte e do Nordeste estão entre o público consumidor de turismo de neve", comenta Simões. "A neve virou moda, a partir de apelos da mídia para as crianças, e o brasileiro sempre teve paixão pelo tema. Muitas famílias colocam como meta uma viagem como esta." As promoções e prazos de pagamento ajudam o consumidor a planejar e investir neste sonho.
Há ainda aqueles que não passam um ano sem visitar estes destinos. É o caso do servidor público do Poder Judiciário Fábio Loss Santos (43 anos), que recentemente esteve no Valle Nevado, junto com 15 esportistas. Praticamente de
snowboard há 20 anos, ele considera esta estação de esqui, situada a menos de duas horas de Santiago do Chile, como uma das melhores do Hemisfério Sul. "Ali tem bons hotéis e restaurantes, os meios de elevação (ski lift) são modernos e a qualidade da neve é ótima. Há muitas áreas de neve além dos limites impostos que podem ser exploradas."
Santos afirma que ele e os amigos têm "100%" do interesse focado no esporte, mas há destinos de neve para todos os gostos, garante o diretor de Marketing da Personal Operadora, Augusto Leite. "Este ano a demanda esquentou muito e o público principal foi de famílias com crianças em férias escolares." A Operadora, que nos anos de 1990 vendia muitos pacotes para Bariloche, estava já há algum tempo sem apostar neste destino. "Resolvemos fazer bloqueios de passagens aéreas para oferecer pacote nas férias de julho e vendeu muito bem - cresceu em torno de 20% a procura em relação ao período anterior, quando ainda oferecíamos frete para o destino."
São Carlos de Bariloche - localizada ao Norte da Patagônia, na região dos lagos andinos - é formada por montanhas margeadas por lagos glaciais, o que garante uma exuberância natural somada a uma estação de esqui cheia de possibilidades, defende Simões, da Point da Neve.
Na Personal Operadora, os pacotes para o destino foram vendidos, até o mês passado, a US$ 1.662 (R$ 6.392,00 na época) por pessoa.

Resorts contam com vários atrativos e instrutores para ajudar iniciantes nas atividades

Mais acessível do que no passado, a prática do esqui e do
snowboard está se popularizando a cada ano entre os brasileiros por conta das condições de pagamento, que possibilitam parcelar no cartão de crédito tanto as passagens aéreas quanto a hospedagem. "Nos últimos dois anos a demanda vem crescendo de 20% a 25% por ano, mesmo com a crise", comenta o sócio-diretor da agência Point da Neve, Cristiano Reis Simões. Dentre os destinos mais procurados, a estação de Chillán também possui águas termais, o que agrada quem prefere apenas descansar em meio ao visual e clima gélido.

"Pucón é outra estação chilena onde se esquia na encosta de um vulcão, que tem um visual muito bonito de uma região de lagos e onde a qualidade de neve é diferenciada", comenta o servidor público Fábio Loss Santos, que costuma viajar para o país para a prática de snowboard. Outra estação bastante atrativa para esportistas fica em Las Leñas. Encravado em uma montanha de 3.430 metros, o mais alto complexo esportivo de neve argentino e um dos mais disputados centros de esqui sul-americanos é perfeito para quem gosta de esportes radicais e neve.

A programação noturna, conhecida como uma das mais animadas, atrai muitos turistas. "É um vilarejo com vida própria, meio isolado, mas com muitos mercados, hotéis, e outros atrativos", comenta Santos. "Há restaurantes para todos os paladares e bolsos, assim como hotéis de quatro e cinco estrelas, apart-hotéis e hostels", concorda Simões.

Os resorts de neve de alta montanha oferecem toda infraestrutura de complexo hoteleiro, com piscina, academia, salão de jogos, entre outras atrações. Além de locar equipamentos, todas as estações oferecem instrutores para ajudar iniciantes a se aventurarem montanha abaixo. Portillo ainda oferece atividades de férias para as crianças. "São programas muito bons para férias das famílias, com tudo incluído no valor dos pacotes", destaca Simões.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia