Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 12 de julho de 2018.
Dia do Engenheiro Florestal.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado imobiliário

12/07/2018 - 16h48min. Alterada em 12/07 às 19h12min

Procon investiga Tenda por propaganda enganosa

Construtora chamava consumidores de "trouxa" por pagar aluguel ao oferecer imóveis a R$ 299 mensais

Construtora chamava consumidores de "trouxa" por pagar aluguel ao oferecer imóveis a R$ 299 mensais


TENDA/DIVULGAÇÃO/JC
Carolina Hickmann
Um processo administrativo foi aberto pelo Procon Porto Alegre contra a construtora Tenda, uma vez que a investigação realizada pelo órgão não encontrou imóveis comercializados a R$ 299,00 mensais, conforme informava publicidade da marca. Agora, a empresa tem o prazo de 10 dias para se defender, sob o risco de multa de até R$ 12 milhões por propaganda enganosa.
A diretoria-executiva da entidade, Sophia Vial, explica que os valores praticados pelos apartamentos anunciados, na verdade, chegavam a quase R$ 1 mil mensais pelo acréscimo de reforços e cobranças extras ao longo das parcelas. O anunciado oferecia apartamentos com entrada de R$ 99,00 e parcelas de R$ 299,00. No passado, a Tenda já havia sido obrigada pela instituição a mudar sua publicidade, que, na época, chamava de “trouxa” consumidores que ainda pagavam aluguel.
Sophia explica que a investigação foi conduzida sem uma queixa prévia de clientes da construtora junto ao Procon, assim, o órgão agiu por seu ofício. Entretanto, a diretora orienta que aqueles que se sentirem lesados podem procurar o órgão para que haja a tentativa de conciliação entre consumidor e empresa.
Em nota, a Tenda argumenta que “todas as evidências foram entregues ao órgão, comprovando veracidade da informação de venda de apartamentos com entradas e prestações mensais reduzidas”, além de se colocar à disposição para esclarecer pontos referentes ao caso.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia