Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 03 de julho de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Tecnologia

Notícia da edição impressa de 03/07/2018. Alterada em 02/07 às 22h01min

Sala de cirurgia híbrida ganha reforço de equipamento de imagem

C-Arm captura imagens em tempo real nos procedimentos cirúrgicos

C-Arm captura imagens em tempo real nos procedimentos cirúrgicos


/JULIANABORGMANN/DIVLGAÇÃO/JC
Patricia Knebel
O SoftwareLab, uma das iniciativas do Cluster de Tecnologia em Saúde instalado no Tecnosinos, acaba de receber um reforço e tanto. É o C-Arm, equipamento que captura imagens em tempo real durante procedimentos cirúrgicos, permitindo a realização de processos menos invasivos.
Há cerca de dois anos, o time do professor do Programa de Pós-Graduação em Computação Aplicada da Unisinos Cristiano André da Costa vem trabalhando na criação de uma sala cirúrgica híbrida. A ideia é que equipamentos tradicionais e de imagem ocupem o mesmo ambiente, criando um cenário mais ágil e eficaz do que o existente hoje nos hospitais. "Muitas vezes, os médicos vivem o dilema, em um caso de emergência, de saber se levam o paciente direto para a cirurgia ou se fazem os exames. Na sala simulada, é possível ir detectando conjuntamente os procedimentos ideais", relata.
O C-Arm passará a fazer parte desse ambiente, que já é equipado com instrumentos de imagem, como ressonância magnética, angiografia e tomografia computadorizada. Costa explica que câmeras e sensores possibilitam que todos os movimentos dessa sala sejam monitorados, como os de pacientes, equipes médicas, equipamentos e instrumentos médicos.
Os equipamentos possibilitam realizar procedimentos minimamente invasivos, reduzindo consideravelmente o trauma do paciente. O objetivo é melhorar e otimizar os processos, além de ampliar o monitoramento dos pacientes.
A sala de cirurgia híbrida é o primeiro projeto do Cluster de Tecnologia em Saúde do Rio Grande do Sul. O programa, promovido pelo governo do Estado, tem como objetivo fomentar a parceria entre empresas, universidades e hospitais gaúchos com o Medical Valley, localizado na Alemanha.
Nesse caso específico, a parceria é entre a Unisinos, o governo estadual, uma universidade alemã e a Siemens Healthineers, que foi quem encomendou o projeto para o SoftwareLab e emprestou o C-Arm. A perspectiva é que os testes fora desse ambiente simulado sejam feitos no início de 2019, no Hospital Mãe de Deus, parceiro do projeto. "Estamos desenvolvendo esse sistema ainda em laboratório, depois começarão os testes e, com tudo pronto, a Siemens poderá implantar isso no mundo", diz Costa.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia