Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 22 de junho de 2018.
Dia do Aeroviário.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Agronegócios

Notícia da edição impressa de 22/06/2018. Alterada em 21/06 às 22h30min

Projeto destina R$ 6,7 milhões para conservação do Pampa

Financiamento oferecido visa ao manejo adequado e à preservação do pasto nativo

Financiamento oferecido visa ao manejo adequado e à preservação do pasto nativo


SÉRGIO BAVARESCO/FUNDAÇÃO ZOOBOTÂNICA RS/DIVULGAÇÃO/JC
Adriana Lampert
Conservar os campos nativos do bioma Pampa e incrementar a produtividade rural com o manejo adequado das pastagens, oferecendo uma valorização dos rebanhos. Esse é o objetivo do projeto Alianza del Pastizal - Produção e Sustentabilidade, lançado nesta quinta-feira pelo governo do Estado em cerimônia no Palácio Piratini. O convênio com o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e a Associação para Conservação das Aves do Brasil (Save Brasil) prevê R$ 6,716 milhões em financiamentos para execução em 24 meses.
Produtores rurais membros da Alianza del Pastizal (Alianças das Pastagens, em espanhol), que abrange os municípios de Lavras do Sul, Bagé, Dom Pedrito, Santana do Livramento, São Gabriel e Quaraí, bem como extensionistas que participarem do projeto, terão acesso a uma linha de crédito de longo prazo de
R$ 5,2 milhões do BRDE (operacionalizado pelo Sicredi, via Plano Safra). O programa conta ainda com a doação de R$ 1,5 milhão do Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (FunBio). A coordenação será da Alianza del Pastizal, iniciativa da Save Brasil em parceria com as secretarias da Agricultura, Pecuária e Irrigação e do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, e o BRDE.
O foco do projeto é incentivar o aumento da produção pecuária em campo nativo, de forma que a biodiversidade seja preservada. "É bom para o gado, e para a biodiversidade, e podemos comprovar através da preservação de espécies de aves que se alimentam da gramínea nativa", explica o diretor executivo da Save Brasil, Pedro Develey. Ele destaca que isso não impede que parte das propriedades trabalhem outros tipos de cultura. "Basta que se tenha 50% de campo nativo", pondera Develey.
A Alianza del Pastizal já trabalha com 110 produtores (em 120 mil hectares de área de pastagem preservada) no Brasil. Ao todo, são 500 propriedades produtoras de carne certificada pela entidade, contando também as localizadas na Argentina, no Uruguai e no Paraguai.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
GENESIO PEDRO BONDAN 22/06/2018 09h34min
parabéns pela iniciativa de preservar o pampa
Francisco Berta Canibal 22/06/2018 08h19min
Quando do projeto Sudoeste, nos anos 60, um técnico alemão, já comentava da qualidade da carne produzida no Pampa, estas declarações devem estar nos arquivos que ainda devem estar guardados em Alegrete, me manifesto só para colaborar, não publique pois não tenho as informações exatas. obrigado. Só que hoje com o anoni, e as lavouras o quadro é outro, mas entendo que recuperável algumas glebas.