Porto Alegre, terça-feira, 28 de setembro de 2021.
Porto Alegre,
terça-feira, 28 de setembro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Patrimônio

- Publicada em 27/09/2021 às 19h01min.

Cerimônia oficializa início das obras de restauro do Monumento ao Laçador em Porto Alegre

Preparo para restauração do Monumento ao Laçador iniciou no último dia 21 de setembro

Preparo para restauração do Monumento ao Laçador iniciou no último dia 21 de setembro


CESAR LOPES/PMPA/JC
Adriana Lampert
Nesta segunda-feira (27) foi oficializado o início das obras de restauração do Monumento ao Laçador, em cerimônia ocorrida no Salão Nobre do Paço Municipal. Símbolo da cultura gaúcha no Rio Grande do Sul, definido por lei municipal em 1992, a estátua será retirada nesta terça-feira (28) do Sítio do Laçador, nas proximidades do aeroporto Salgado Filho, onde está instalada desde 2007.
Nesta segunda-feira (27) foi oficializado o início das obras de restauração do Monumento ao Laçador, em cerimônia ocorrida no Salão Nobre do Paço Municipal. Símbolo da cultura gaúcha no Rio Grande do Sul, definido por lei municipal em 1992, a estátua será retirada nesta terça-feira (28) do Sítio do Laçador, nas proximidades do aeroporto Salgado Filho, onde está instalada desde 2007.
A escultura em bronze criada pelo artista plástico Antônio Caringi e inspirada no folclorista Paixão Côrtes tem 4,45 metros de altura, pesa 3,8 toneladas e possui um pedestal de granito trapezoidal de 2,10 metros de altura. Construída em 1958, foi tombada como patrimônio histórico de Porto Alegre em 2001. Em 2016, foram constatadas fissuras e rachaduras na escultura, que, caso não sejam consertadas, "podem gerar danos permanentes", segundo o coordenador do Projeto Construção Cultural - Resgate do Patrimônio Histórico, Zalmir Chwartzmann. 
Além dele, estiveram presentes na cerimônia o prefeito Sebastião Melo (MDB), o secretário municipal de Cultura, Gunter Axt; o presidente do Sinduscon-RS, Aquiles Dal Molin Júnior; a secretária adjunta da Transparência e Controladoria, Luciane Rache; o diretor do Museu de Arte Contemporânea (MAC) e do Instituto Estadual de Artes Visuais (Ieavi), André Venzon; a filha de Paixão Côrtes, Ana Paixão; e a neta do escultor do Monumento, Manuela Caringi Turnes.
"Quando falamos do Laçador, falamos da alma de Porto Alegre e também do Rio Grande do Sul", destacou o secretário de Cultura, ao enfatizar que a estátua está com a estrutura comprometida. "Precisa, de fato, de uma intervenção de restauro", reforçou Axt.
O projeto de restauração é realizado pelo Sinduscon-RS, pela Associação Sul Riograndense da Construção Civil em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura (SMC). Segundo o gestor da pasta, a SMC se "engajou na tafefa", ajudando a compor o processo através de seus técnicos. Axt agradeceu também à Secretaria de Estado da Cultura (Sedac) por ter viabilizado a realização da obra, cujo orçamento é de R$ 900 mil, sendo que R$ 810 mil foram captados através da Lei de Incentivo à Cultura do Governo do Estado.
A obra conta ainda com o patrocínio das empresas Gerdau e Sulgás, e tem apoio da JOG Andaimes, Elevato e Ministério Público do Rio Grande do Sul. "Daqui a três meses, teremos a estátua e o Sítio do Laçador revitalizados", destacou o secretário. O Monumento vai ganhar uma estrutura interna em aço inoxidável para funcionar como uma coluna, já que, originalmente, a obra é oca. Antes de ser devolvida ao seu local de origem, a estátua ainda vai receber um tratamento com pátina química, o que deve deixar o acabamento sem cicatrizes permanentes.
Axt lembrou que o espaço onde o Monumento está instalado irá precisar de iluminação cênica, jardinagem adequada e manutenção. O prefeito de Porto Alegre destacou que, por ora, o local onde a estátua se encontra será mantido. Mas ponderou que é preciso pensar em uma estratégia que evite que o símbolo da cidade volte a ser deteriorado. Após o restauro, a estátua será transferida para um pavilhão onde terá vigilância permanente, para evitar que sofra vandalismo. "Queremos primaverar esta cidade, e estamos fazendo a nossa parte, mas infelizmente ainda temos que conter a ação de vândalos", afirmou Melo.
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário