Porto Alegre, quarta-feira, 24 de março de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 24 de março de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Artes Cênicas

- Publicada em 17h03min, 24/03/2021.

Peça 'Mulheres nascidas de um nome' reúne vinte e oito atrizes de onze países

Espetáculo trata do imaginário em torno dos nomes femininos, e fica em cartaz entre 25 e 30 de março

Espetáculo trata do imaginário em torno dos nomes femininos, e fica em cartaz entre 25 e 30 de março


PASSARIM ASSESSORIA/DIVULGAÇÃO/JC
Vinte e oito atrizes de onze países estão reunidas no espetáculo Mulheres nascidas de um nome, que terá sua primeira exibição online nesta quinta-feira (25). São seis apresentações diárias até o dia 30, sempre às 18 horas, com acesso gratuito pelo canal Ninguém Segura a Michelle Raja Gebara no YouTube. Após cada espetáculo, haverá sessão de bate-papo com os realizadores pela plataforma Sympla.
Vinte e oito atrizes de onze países estão reunidas no espetáculo Mulheres nascidas de um nome, que terá sua primeira exibição online nesta quinta-feira (25). São seis apresentações diárias até o dia 30, sempre às 18 horas, com acesso gratuito pelo canal Ninguém Segura a Michelle Raja Gebara no YouTube. Após cada espetáculo, haverá sessão de bate-papo com os realizadores pela plataforma Sympla.
No espetáculo, atrizes do Brasil, Portugal, Espanha, Panamá, Peru, Colômbia, Uruguai, Paraguai, Venezuela, Costa Rica e Bolívia, encenam atos baseados em trinta e três nomes de mulher, jogando com o imaginário coletivo em torno de cada um. Os contos são apresentados em solo, duplas, trios ou em grupos, com todas as mulheres, além de cenas musicais e performances de dança e perna de pau. Baseado no livro homônimo do argentino radicado em Portugal, Claudio Hochman, a montagem tem direção do premiado Claudio Torres Gonzaga e produção da Raja Gebara Pictures.
Parte das vinte e nove artistas mulheres são brasileiras, incluindo responsáveis pela montagem presencial da peça, em 2019. São atrizes brasileiras que moram fora do Brasil (Colômbia, Portugal), artistas estrangeiras que dominam o português (Uruguai, Portugal, Paraguai, Panamá, Bolívia e Espanha), além de duas cantoras indígenas, quatro artistas negras e uma atriz com Síndrome de Down.
Mulheres nascidas de um nome será encenado em português, com duas cenas em espanhol. A apresentação contará com intérprete de libras, e terá uma cena interpretada totalmente nessa linguagem, para que o restante do público tenha a percepção das dificuldades vividas por deficientes auditivos.
As atrizes brasileiras participantes são: Angélica Rodrigues (atriz e intérprete de libras), Ana Terra Blanco, Catarina Saibro, Celisa Diuana, Cíntia Kawahara, Daruã Góes, Isabella Dionísio, Juliana Resende, Kizi Vaz, Maíra Kestenberg, Michelle Raja Gebara, Rafa Delgado (portadora de Síndrome de Down), Rayza Noiá, Renata Di Carmo, Roberta Chaves e Sorys Vellozo. Também participam da montagem Amparo de Gata (Espanha), Andrea Lacassy (Uruguai), Andy Romero (Paraguai), Carolina Solano (Costa Rica), Gabriela Dias (Brasil/Venezuela), Hada Luz (Colombia/Brasil), Laise Leal (Portugal/Brasil), Marta Fernandes (Portugal), Martha Fernandes, Nieto (Espanha), Mayra Padilla (Bolivia/indígena), Rosa García (Panamá/indígena) e Vanessa Saba (Peru).
Comentários CORRIGIR TEXTO