Porto Alegre, sábado, 07 de novembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 07 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

gente

- Publicada em 12h45min, 07/11/2020.

Cineasta argentino Pino Solanas morre em Paris por Covid-19

Ele tinha 84 anos e foi hospitalizado há menos de um mês com diagnóstico de novo coronavírus

Ele tinha 84 anos e foi hospitalizado há menos de um mês com diagnóstico de novo coronavírus


LOIC VENANCE/AFP/JC
O diretor, ator, roteirista, político e ativista argentino Fernando "Pino" Solanas morreu na sexta-feira (6), aos 84 anos, em Paris - onde fica a sede da Unesco, na qual ele era embaixador da Argentina. Solanas postou no Twitter uma foto em uma cama de hospital em 16 de outubro, informando que ele e a mulher, Ángela Correa, haviam testado positivo para Covid-19. A esposa estava em casa, mas ele se encontrava sob observação médica.
O diretor, ator, roteirista, político e ativista argentino Fernando "Pino" Solanas morreu na sexta-feira (6), aos 84 anos, em Paris - onde fica a sede da Unesco, na qual ele era embaixador da Argentina. Solanas postou no Twitter uma foto em uma cama de hospital em 16 de outubro, informando que ele e a mulher, Ángela Correa, haviam testado positivo para Covid-19. A esposa estava em casa, mas ele se encontrava sob observação médica.
Cinco dias depois, seu estado piorou, conforme o perfil na mesma rede social, naquela que seria sua última manifestação. Ambas as publicações deixavam a mensagem para todos se cuidarem em relação ao novo coronavírus.
Com mais de 20 filmes no currículo, o cineasta portenho (de La Hora de los Hornos, 1968) foi presidente do júri do 71º Festival de Cinema de Cannes em Cannes, na França, em 2018 - onde foi feito o registro da fotografia acima. Sua obra mais recente é Viaje a los Pueblos Fumigados (2018).
Solanas foi senador e deputado pela Frente Grande na Argentina. Também foi candidato à presidência em 2007 pelo movimento Projeto Sul, progressista, ambientalista e de centro-esquerda, em aliança com o Partido Socialista Autêntico. Em junho de 2019, anunciou que ingressaria na Frente de Todos e endossou a chapa presidencial de Alberto Fernández e Cristina Fernández.
Comentários CORRIGIR TEXTO