Porto Alegre, quarta-feira, 28 de outubro de 2020.
Dia do Funcionário Público. Dia de São Judas Tadeu.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 28 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

cinema

- Publicada em 16h22min, 28/10/2020.

CCBB promove mostra online gratuita de filmes brasileiros de terror

Entre os destaques, está o premiado 'Morto não fala', de Dennison Ramalho

Entre os destaques, está o premiado 'Morto não fala', de Dennison Ramalho


CASA DE CINEMA DE PORTO ALEGRE/DIVULGAÇÃO/JC
O Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) promove entre esta quarta-feira (28) e o dia 23 de novembro a mostra macaBRo – Horror Brasileiro Contemporâneo, que virtualmente irá levar todo o País em uma viagem pelas produções audiovisuais nacionais de terror. Serão exibidas 22 produções entre longas e curtas-metragens da nova geração de diretores e diretoras, além de clássicos de José Mojica Marins, o Zé do Caixão.
O Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) promove entre esta quarta-feira (28) e o dia 23 de novembro a mostra macaBRo – Horror Brasileiro Contemporâneo, que virtualmente irá levar todo o País em uma viagem pelas produções audiovisuais nacionais de terror. Serão exibidas 22 produções entre longas e curtas-metragens da nova geração de diretores e diretoras, além de clássicos de José Mojica Marins, o Zé do Caixão.
Em função da pandemia de Covid-19, todas as atividades serão virtuais com debates e palestras, além de cursos e lives no YouTube e Instagram da @blgentretenimento, sem necessidade de inscrição prévia. As exibições serão gratuitas e online na plataforma darkflix.com.br/macabro. A programação também está disponível no site.
Segundo o curador Breno Lira Gomes, “A mostra macaBRo– Horror Brasileiro Contemporâneo vem para celebrar esse cinema cheio de coragem e vontade de encontrar o seu público e, principalmente, denarrar uma boa história de terror essencialmente brasileira, com temáticas ligadas à nossa cultura. A mostra é fruto de uma produção atual e pulsante, que reúne uma nova geração de diretores e diretoras, que estão vendo a chance de experimentar dentro da linguagem cinematográfica, lado a lado com nomes já consagrados como o grande mestre José Mojica Marins, o eterno Zé do Caixão”.
Entre os longas-metragens, destacam-se produções como o premiado Morto não fala, de Dennison Ramalho, exibido em mais de 40 festivais no mundo e protagonizado por Daniel de Oliveira; O animal cordial, de Gabriela Amaral Almeida, comLuciana Paes, Murilo Benício e IrandhirSantos; Sem seu sangue, de Alice Furtado, que estreou no Festival de Cannes; e o aguardado O Cemitério das Almas Perdidas, de Rodrigo Aragão. Os filmes ficarão disponíveis 24 horas e com limite de visualizações no caso dos longas; e durante uma semana, para os curtas.
Já os curtas-metragens vão integrar sessões homenagens com quatro mini-retrospectivas de nomes que se destacaram nos últimos anos no gênero. Alguns dos destaques são O hóspede, Não tão longe, O desejo do morto, Cova aberta, Mais denso que o sangue e Os mortos; além de quatro curtas, sendo um dirigido e um codirigido pelo também homenageado Zé do Caixão: O saci, Coffin Joe’s Heart Of Darkness, de Marcelo Colaiacovo, Nilson Primitivo e José Mojica Marins, com trechos inéditos, Tirarei as medidas do seu caixão, de Diego Camelo, e A lasanha assassina, animação com voz de Mojica e direção de Ale McHado.
Comentários CORRIGIR TEXTO