Porto Alegre, quinta-feira, 08 de outubro de 2020.
Dia do Nordestino e dia Nacional do Combate a Cartéis.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 08 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

ACONTECE

- Publicada em 20h59min, 08/10/2020.

Poeta norte-americana Louise Glück é a Prêmio Nobel de Literatura

Autora de 77 anos tem obra inédita em livros no Brasil

Autora de 77 anos tem obra inédita em livros no Brasil


ROBIN MARCHANT/GETTY IMAGES/AFP/JC
Com obra inédita em livros no Brasil, a poeta norte-americana Louise Glück, de 77 anos, é a Prêmio Nobel de Literatura 2020. A cerimônia desta quinta-feira (8) foi transmitida por streaming da Suécia, onde a Academia - composta atualmente por sete membros - escolhe o laureado. A escritora foi escolhida "por sua voz poética inconfundível que, com beleza austera, faz universal a existência individual". O prêmio deste ano é de 10 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 6 milhões).
Com obra inédita em livros no Brasil, a poeta norte-americana Louise Glück, de 77 anos, é a Prêmio Nobel de Literatura 2020. A cerimônia desta quinta-feira (8) foi transmitida por streaming da Suécia, onde a Academia - composta atualmente por sete membros - escolhe o laureado. A escritora foi escolhida "por sua voz poética inconfundível que, com beleza austera, faz universal a existência individual". O prêmio deste ano é de 10 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 6 milhões).
O presidente do comitê do Nobel, Anders Olsson, disse que falou com a poeta por telefone. "A mensagem chegou como uma surpresa bem-vinda, pelo que posso dizer, tão cedo na manhã." O prêmio deste ano é de 10 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 6 milhões).
Em uma ligação gravada e divulgada pelo comitê do Nobel, feita minutos após o anúncio, Glück disse que não fazia ideia o que o prêmio significava para ela, e foi bem humorada. "Meu primeiro pensamento foi que não teria mais amigos, porque todos eles são escritores", disse. "O prêmio ainda é muito novo, eu não sei o que significa. É uma grande honra. Há, claro, outros laureados que eu não admiro, mas então penso nos que admiro, inclusive alguns muito recentes. De maneira prática, eu queria comprar uma nova casa em Vermont, e agora talvez seja possível. Estou mais preocupada com a preservação da vida cotidiana das pessoas que eu amo. O telefone está tocando o tempo todo."
Quando o representante da Academia pergunta se ela gostaria de indicar um caminho para quem não conhece sua obra ("são muitos", ri a poeta), ela diz que não há. "Os livros são muito diferentes uns dos outros. Eu diria para não ler o primeiro, mas sigo interessada no trabalho seguinte. Averno (2006) talvez seja um lugar para começar, e meu livro mais recente, Faithful and Virtuous Night (2014)."
A autora nasceu em 1943 em Nova York, e atualmente vive em Cambridge, Massachusetts. Além de escritora, ela é professora na Yale University, em Connecticut, e mesmo antes do Nobel era reconhecida como uma das poetas mais importantes dos Estados Unidos. Louise estreou na poesia em 1968 com o livro Firstborn, e entre outros prêmios importantes também levou o Pulitzer, pelo livro The Wild Iris, em 1993, e o National Book Award, em 2014. Dois anos depois, ela recebeu a National Humanities Medal do então presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.
Comentários CORRIGIR TEXTO