Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

FESTIVAL DE GRAMADO

- Publicada em 13h00min, 24/09/2020.

Além de documentário, trajetória de Sidney Magal terá cinebiografia

'Me chama que eu vou', de Joana Mariani, concorre no 48º Festival de Cinema de Gramado

'Me chama que eu vou', de Joana Mariani, concorre no 48º Festival de Cinema de Gramado


MAR FILMES/DIVULGAÇÃO/JC
Sexto longa brasileiro em competição pelo Kikito no 48º Festival de Cinema de Gramado, Me chama que eu vou, documentário musical de Joana Mariani com a trajetória de Sidney Magal, foi exibido na noite de quarta-feira (23) pelo Canal Brasil. Nesta quinta-feira (24) pela manhã, a equipe de realizadores - incluindo o artista e seu filho, Rodrigo West, participaram de debate transmitido pelo YouTube.
Sexto longa brasileiro em competição pelo Kikito no 48º Festival de Cinema de Gramado, Me chama que eu vou, documentário musical de Joana Mariani com a trajetória de Sidney Magal, foi exibido na noite de quarta-feira (23) pelo Canal Brasil. Nesta quinta-feira (24) pela manhã, a equipe de realizadores - incluindo o artista e seu filho, Rodrigo West, participaram de debate transmitido pelo YouTube.
Na conversa com o jornalista Roger Lerina, foi revelado que parte da vida do ator e cantor com mais de 50 anos de carreira também será resgatada em uma cinebiografia, que tem como título outra canção eternizada em sua voz: Meu sangue ferve por você. Com direção de Paulo Machline, a produção da Mar Filmes terá José Loreto no papel principal e conta ainda com Emmanuele Araújo e Luiz Miranda no elenco. 
Em formato de narrativa ficcional, o filme terá como recorte a relação romântica entre Magal e sua esposa Magali. A equipe, que é a mesma do documentário, já estava em pré-produção, e os atores seguem os ensaios em quarentena, planejando o retorno das filmagens com segurança. 
A diretora Joana ainda fez um apelo que no ano que vem, quando o festival voltará a ter edição presencial, o evento exiba o filme em uma sessão à tarde, hors-concours (fora de competição), para que Magal possa se apropriar do tapete vermelho da Rua Coberta de Gramado. "Agradeço a generosidade da família West como um todo... Magali é uma luz, uma figura maravilhosa", finalizou.
Comentários CORRIGIR TEXTO