Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

FESTIVAL DE GRAMADO

- Publicada em 21h13min, 23/09/2020. Atualizada em 15h26min, 24/09/2020.

'Construção' foi eleito melhor curta gaúcho do Festival de Cinema de Gramado

Cerimônia, com apresentação de Marla Martins, foi transmitida pelas redes sociais e site

Cerimônia, com apresentação de Marla Martins, foi transmitida pelas redes sociais e site


EDISON VARA/PRESSPHOTO/DIVULGAÇÃO/JC
Caroline Zatt da Silva
Na noite desta terça-feira (23), ocorreu a cerimônia de divulgação dos vencedores do Prêmio Assembleia Legislativa - Mostra Gaúcha de Curtas do 48º Festival de Cinema de Gramado. De forma remota, por vídeo, mandaram depoimentos celebridades do setor audiovisual do Estado: Alice Urbim, Gilberto Perin, Boca Migotto, Sirmar Antunes, Giba Assis Brasil, José Pedro Goulart, Werner Schunemann e Jorge Furtado.
Na noite desta terça-feira (23), ocorreu a cerimônia de divulgação dos vencedores do Prêmio Assembleia Legislativa - Mostra Gaúcha de Curtas do 48º Festival de Cinema de Gramado. De forma remota, por vídeo, mandaram depoimentos celebridades do setor audiovisual do Estado: Alice Urbim, Gilberto Perin, Boca Migotto, Sirmar Antunes, Giba Assis Brasil, José Pedro Goulart, Werner Schunemann e Jorge Furtado.
O grande destaque ficou para Construção, de Leonardo da Rosa, que levou os troféus de melhor filme, direção, montagem (para André Berzagui e Arthur Amaral) e menção honrosa do júri da crítica. O diretor expressou uma surpresa muito grande com os prêmios: "De verdade, mesmo. Não esperava... Só tenho a agradecer aos colegas da equipe, professores e à UFPel pelo apoio aos alunos. Como universitários, sempre almejamos estar na mostra de Gramado. É uma honra. Isso só mostra a força da nossa faculdade, vamos resistir e continuar fazendo cinema no Rio Grande do Sul".
O documentário acompanha o retorno de Andréia e seus filhos Augusto, Gustavo e Bruno ao local de onde foram despejados anos antes. Em um terreno da comunidade da Getúlio Vargas, com a ajuda dos meninos, ela começa a erguer a construção de sua casa própria, tijolo a tijolo.
O prêmio dos críticos (Certificado ACCIRS) foi para Fragmentos ao vento: 1945, de Ulisses Da Motta, por "fazer uma reconstituição de época excepcional e em poucos minutos discutir temas como racismo, intolerância, imigração, mudanças. Um trabalho que pode ser considerado primoroso e que renderia até mesmo um longa-metragem". "Ficamos muito felizes com a sensibilidade do Júri da Crítica em interpretar as camadas da história de Senhorinha. Esse prêmio valoriza o curta como um todo e destaca o exaustivo trabalho da nossa guerreira equipe de arte, que suou muito para fazermos a melhor reconstituição possível do período", destacou o diretor.
Deserto estrangeiro, de Davi Pretto, venceu em três categorias: melhor ator (Mauro Soares), melhor atriz (Isabél Zuaa) e melhor fotografia (Luciana Baseggio).
O título O que pode um corpo?, de Victor Di Marco e Márcio Picoli, recebeu o prêmio especial do júri, "pelo modo como alia a fotografia, o desenho de som e o depoimento-performance de seu protagonista-diretor para dar a ver uma subjetividade complexa incapaz de ser reduzida a um rótulo" - apresentado pela grande atriz Zezita Matos, que também é presidenta da Academia Paraibana de Cinema.
Os curtas podem ser assistidos até as 23h59 deste sábado (26) no site do 48º Festival de Cinema de Gramado. 
Vencedores do 17º Prêmio Assembleia Legislativa - Mostra Gaúcha de Curtas
Melhor Filme
Construção, de Leonardo da Rosa
Melhor Direção
Leonardo da Rosa, por Construção
Melhor ator
Mauro Soares, por Deserto estrangeiro
Melhor Atriz
Isabél Zuaa, por Deserto estrangeiro
Melhor Roteiro
Richard Tavares, por Desencanto
Melhor Fotografia
Luciana Baseggio, por Deserto estrangeiro
Melhor Montagem
André Berzagui e Arthur Amaral, por Construção
Melhor Direção de Arte
Alice Sperb e Thiago Dorsch, por Sopa Noir
Melhor Música (Trilha Sonora)
Valmor Pedretti, por Magnética
Melhor Edição de Som (Desenho de Som)
Gabriel Portela, por Letícia Monte Bonito 04
Melhor Produção Executiva
Matheus Heinz, por Lacrimosa
Prêmio da Crítica
Fragmentos ao vento: 1945, de Ulisses Da Motta
Menção Honrosa
Construção, de Leonardo da Rosa
Prêmio Especial do Júri
O que pode um corpo?, Victor Di Marco e Márcio Picoli
Comentários CORRIGIR TEXTO