Porto Alegre, domingo, 19 de julho de 2020.
Nelson Mandela Day.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 19 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

televisão

Alterada em 19h06min, 19/07/2020.

TV Brasil estreia série documental sobre a vida dos leões

Filmada no Vale de Luangwa, na Zâmbia, 'O pais do grande felino' terá seis episódios semanais

Filmada no Vale de Luangwa, na Zâmbia, 'O pais do grande felino' terá seis episódios semanais


TV BRASIL/DIVULGAÇÃO/JC
Estreando na TV Brasil nesta segunda-feira (20), às 20h30min, a série documental O país do grande felino retrata a convivência de três bandos de leões no Vale de Luangwa, na Zâmbia. Em seis episódios de uma hora, exibidos semanalmente, os cinegrafistas acompanham os grupos de felinos atuando para reivindicar sua terra e proteger seus filhotes, enfrentando desafios que podem resultar em triunfos ou tragédias.
Estreando na TV Brasil nesta segunda-feira (20), às 20h30min, a série documental O país do grande felino retrata a convivência de três bandos de leões no Vale de Luangwa, na Zâmbia. Em seis episódios de uma hora, exibidos semanalmente, os cinegrafistas acompanham os grupos de felinos atuando para reivindicar sua terra e proteger seus filhotes, enfrentando desafios que podem resultar em triunfos ou tragédias.
Filmada em uma das áreas selvagens mais remotas do continente africano, na época do ano em que a estação seca transforma o pantanoso Vale de Luangwa em um deserto semi-árido, a produção traz imagens espetaculares e íntimas do universo dos leões. Durante o primeiro episódio, a série documenta a chegada repentina de quatro jovens machos nômades que trazem caos e novas batalhas entre os animais.
A forte alcateia possui 17 integrantes, mas os machos já são idosos e não conseguem manter a segurança do bando. Em outro grupo, ao norte, seis leoas são autossuficientes há três anos, porém, sem machos para acasalar, correm risco de vida.
Comentários CORRIGIR TEXTO