Porto Alegre, segunda-feira, 01 de junho de 2020.
Dia da Imprensa.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 01 de junho de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Artes visuais

31/05/2020 - 20h09min. Alterada em 01/06 às 13h32min

Morre aos 84 anos o artista plástico Christo

 Christo morreu neste domingo aos 84 anos, de causas naturais em Nova Iorque

Christo morreu neste domingo aos 84 anos, de causas naturais em Nova Iorque


NIKLAS HALLE'N/AFP/JC
O artista plástico Christo, famoso por suas colossais criações baseadas em monumentos como o Pont Neuf em Paris ou o Reichstag em Berlim, morreu neste domingo aos 84 anos, disseram seus colaboradores em sua conta oficial do Facebook.
O artista plástico Christo, famoso por suas colossais criações baseadas em monumentos como o Pont Neuf em Paris ou o Reichstag em Berlim, morreu neste domingo aos 84 anos, disseram seus colaboradores em sua conta oficial do Facebook.
O artista, nascido Christo Vladimirov Javacheff, na Bulgária, "faleceu de causas naturais em 31 de maio de 2020 em sua casa em Nova York", de acordo com uma mensagem divulgada por seu escritório na rede social.
O polêmico artista plástico de origem búlgara Christo, que já embrulhou com plástico o Reichstag em Berlim, em 1995, plantou 3.100 guarda-chuvas na Califórnia e no Japão e circundou várias ilhas na Flórida com um tecido rosa flutuante, além de embrulhar a Pont Neuf sobre o Rio Senna, em Paris, em 1985, prepara agora uma mega-instalação que vai ocupar o Central Park de Nova York por 15 dias.
Christo e sua mulher e parceira, a francesa Jeanne-Claude, coloriram o parque localizado no coração da cidade de laranja, como querem uns, ou de açafrão, como querem outros, para contrastar com as árvores nuas e o tom cinza do inverno no parque de Manhattan.
The Gates, Central Park, New York City, 1979-2005 ocupa 37 quilômetros das trilhas que percorrem o parque, por onde foram instalados 7.500 portais em intervalos regulares e com uma altura de cerca de dois metros do chão, porque umas são maiores do que outras. Todas enroladas com lenços que serão desenrolados no sábado.
Estima-se que o projeto em Manhattan tenha custado cerca de US$ 21 milhões de dólares. O trabalho foi realizado no Brooklyn, onde o casal vivia há 40 anos. Eles trabalharam neste projeto desde o início dos anos 60, quando se mudaram para Nova Iorque.
Comentários