Porto Alegre, quinta-feira, 30 de abril de 2020.
Dia do Ferroviário.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 30 de abril de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

música

Alterada em 30/04 às 17h51min

Tequila Baby promove live para celebrar 25 anos de estrada e arrecadar doações

Banda também lançou versão acústica do hit 'Velhas fotos' para as comemorações

Banda também lançou versão acústica do hit 'Velhas fotos' para as comemorações


LUANA BREDA/DIVULGAÇÃO/JC
Igor Natusch
Derrubar barreiras está no coração do punk rock. Na verdade, dá para dizer que ele nasceu exatamente para isso: botar abaixo a distância entre palco e público, mostrar que a música é de todos e todas e pertence a quem quiser ouvi-la ou tocá-la. Um espírito que, em tempos de distanciamento social causado pelo novo coronavírus, serve muito bem para colocar abaixo outro tipo de barreira: a das paredes de casa, que impedem temporariamente a proximidade física entre os músicos e seus fãs.
Derrubar barreiras está no coração do punk rock. Na verdade, dá para dizer que ele nasceu exatamente para isso: botar abaixo a distância entre palco e público, mostrar que a música é de todos e todas e pertence a quem quiser ouvi-la ou tocá-la. Um espírito que, em tempos de distanciamento social causado pelo novo coronavírus, serve muito bem para colocar abaixo outro tipo de barreira: a das paredes de casa, que impedem temporariamente a proximidade física entre os músicos e seus fãs.
Neste sábado (2), às 20h, os gaúchos da Tequila Baby vão colocar a aura punk em prática uma vez mais, em uma live que promete revisitar os grandes momentos de 25 anos de estrada. A apresentação, que vai intercalar música com momentos de bate-papo, será transmitida pelos canais da banda nas redes sociais, e também marca o lançamento da versão acústica de Velhas fotos, um dos maiores sucessos da banda e que já está disponível nas redes sociais.
O show on-line também tem um caráter beneficente, arrecadando fundos para o Hospital de Caridade de Canela e para a Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Gramado, na Serra. "Neste momento, todo mundo está com condições diminuídas em sua felicidade individual. Então, surgiu essa ideia de nos juntarmos para criar um momento divertido, de felicidade conjunta", diz o guitarrista James Andrew, em conversa com o Jornal do Comércio.
Em sua visão, a live é uma forma de reconhecimento aos fãs, que sempre estiveram ao lado do grupo nessas duas décadas e meia. "Eu sempre digo que amigo para farrear a gente sempre encontra, mas os brothers de verdade, esses vão estar contigo no momento difícil. E a gente está em um momento difícil. O que importa agora não é qualidade ou estrutura, é dizer para a galera 'oi, vocês estão aí, a gente também está em casa, está uma merda, mas vamos sair todos juntos dessa'. É um remédio para todo mundo", acentua.
Além da diversão com o show virtual, os muitos apreciadores da Tequila Baby têm também a chance de participar, diretamente, da divulgação da nova versão de Velhas fotos. A banda está preparando um clipe, usando exclusivamente imagens enviadas pelos fãs.
"A gente quer que a gurizada grave um vídeo, dublando em casa o que o (vocalista Duda) Calvin está cantando, e mande para nós. Aí o lance é mostrar o ambiente em que tu estás vivendo, retratar mesmo o confinamento em casa, no quarto, dentro do carro ou seja lá onde tu estiveres", explica o guitarrista. "Vamos usar o máximo de imagens que for possível, para mostrar que nunca a gente precisou tanto um dos outros e, ao mesmo tempo, para dizer que estamos todos juntos nessa". Os vídeos devem ser gravados na horizontal e podem ser enviados via WeTransfer ou Google Docs para o e-mail velhasfotos@tequilababy.com.br, junto com a autorização de imagem disponível no site www.tequilababy.com.br.
A releitura acústica de Velhas fotos foi gravada em março, em meio à agenda de shows do quinteto, e acabou sendo mixada de forma remota, com os músicos conversando via WhatsApp com o engenheiro de som Glauco Minossi. Trabalhar na gravação foi, nas palavras de James, uma forma de pensar uma “quarentena positiva”, depois da abrupta interrupção na agenda da banda.
Antes da chegada da Covid-19, o quinteto – que, além de James e Calvin, conta com Rodrigo Gaspareto (baixo), Rafael Heck (bateria) e Thiago Heinrich (guitarra, voz, piano e acordeom) – tinha cerca de 30 shows em vista, e planejava gravar um DVD ao vivo ainda este ano. "É doído, sim, 25 anos de estrada e nunca deixei de fazer um show por um motivo de saúde, sempre cumprimos nossos compromissos. Mas isso fica suspenso no espaço, vai haver tempo para isso mais tarde", diz o músico, otimista.
Um princípio que ainda está longe do fim, como diz a própria letra da canção regravada. O formato acústico, aliás, é uma característica de vários dos espetáculos que celebraram os 25 anos de banda - uma jornada que James Andrew relembra com satisfação. "A gente se sente como uma das bandas mais felizes do mundo", garante. "Eu acho que nós somos afortunados, porque a gente sempre fez o que a gente quis, a gente viveu plenamente as coisas boas e as ruins, mas sempre dentro das nossas regras. E agora estamos tendo a oportunidade de viver essa situação de pandemia e nos reinventarmos."
No momento, a Tequila Baby pensa em manter a vibe positiva da apresentação online com o lançamento de algumas músicas inéditas, que estão gravadas e recebendo os toques finais. Tudo como forma de presentear os fãs e, ao mesmo tempo, incentivá-los a cumprir as recomendações dos especialistas, ficando em casa o máximo de tempo possível. "A gente apoia totalmente as medidas contra o vírus. Eu entendo de guitarra e de rock'n'roll, não sei nada de doença, de como achatar curva de contágio. Nisso, a gente confia na ciência e corre atrás do que ela diz", reforça.
Uma confiança que James Andrew sempre teve na música e no espírito punk, e que segue inabalável na certeza do reencontro com a estrada, após a superação dos dias ruins. "A música é o remédio da alma. Essa cura a gente já achou. Ainda não achamos a cura da Covid-19, mas eu tenho certeza que a gente vai achar. Tem muita gente cabeçuda trabalhando nisso, os Angus Young e os John Lennon da ciência estão botando a genialidade desses nisso aí."
Comentários