Porto Alegre, domingo, 22 de março de 2020.
Dia Mundial da Água.

Jornal do Comércio

Porto Alegre, domingo, 22 de março de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Gente

22/03/2020 - 11h12min. Alterada em 22/03 às 17h13min

Jornalista Mariana Kalil morre vítima de câncer

A jornalista Mariana Kalil escreveu três livros e tinha um site voltado ao público feminino

A jornalista Mariana Kalil escreveu três livros e tinha um site voltado ao público feminino


Mariana Kalil/Arquivo pessoal/JC
A jornalista Mariana Kalil, de 47 anos, faleceu às 5 horas da madrugada deste domingo (22) vítima de um melanoma (câncer de pele). Ela estava internada no Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre.
A jornalista Mariana Kalil, de 47 anos, faleceu às 5 horas da madrugada deste domingo (22) vítima de um melanoma (câncer de pele). Ela estava internada no Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre.
Mariana vinha lutando contra o câncer e costumava mostrar um pouco da sua rotina nas redes sociais. Em uma das mais recentes postagens, de 6/2, ela disse. “O amor e o carinho de todos vocês, perseguidoras e perseguidores, me impulsiona como uma malabarista que voa pelo céu encantado em seu trapézio mágico. O amor e o carinho da minha família e amigos é o que me mantém firme e forte até aqui, com desequilíbrios e tropeços, sim. Mas com muito aprendizado”.
Reconhecida pelos amigos como uma pessoa leve e bem-humorada, mesmo nos momentos difíceis, Mariana era escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e diretora de conteúdo do site Mari Kalil, direcionado ao público feminino. Autora dos livros Peregrina de araque, Vida peregrina e Tudo tem uma primeira vez, publicados pela editora Dublinense, ela nasceu e vivia em Porto Alegre. Anteriormente morou em São Paulo, Rio de Janeiro e Barcelona. Trabalhou nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e foi correspondente da BBC na Espanha, onde cursou pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona.
A despedida será simples e com as restrições em função da epidemia do coronavírus, no Memorial Angelus, das 12 às 15h. Em mensagem enviada para amigos, familiares colocaram a observação  “não precisam se arriscar. Sei que estão conosco”.