Porto Alegre, sexta-feira, 13 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Música

Notícia da edição impressa de 13/03/2020. Alterada em 12/03 às 20h18min

Nei Lisboa é atração do show de reabertura do Espaço 373

Cantor e compositor apresenta clássicos e músicas novas

Cantor e compositor apresenta clássicos e músicas novas


CINTIA BELLOC/DIVULGAÇÃO/JC
Nei Lisboa e seu parceiro de longa data, Luiz Mauro Filho, fazem nesta sexta-feira (13), às 21h30min, o show de reabertura do Espaço 373 (Comendador Coruja, 373), após reforma e ampliação do espaço. No repertório, Nei trará uma mescla de canções inéditas com um apanhado geral de suas quatro décadas de carreira. Ingressos, a R$ 80,00, podem ser adquiridos na bilheteria do local. Informações e reservas pelos números (51) 98142-3137 e (51) 99508-2772.
Nei Lisboa e seu parceiro de longa data, Luiz Mauro Filho, fazem nesta sexta-feira (13), às 21h30min, o show de reabertura do Espaço 373 (Comendador Coruja, 373), após reforma e ampliação do espaço. No repertório, Nei trará uma mescla de canções inéditas com um apanhado geral de suas quatro décadas de carreira. Ingressos, a R$ 80,00, podem ser adquiridos na bilheteria do local. Informações e reservas pelos números (51) 98142-3137 e (51) 99508-2772.
Com 11 discos lançados, Nei Lisboa tem cancões gravadas na voz de intérpretes consagrados, como Caetano Veloso, Zélia Duncan, Luiza Possi e Cida Moreira. Seu mais recente álbum, Telas, tramas & trapaças do novo mundo, foi gravado ao vivo, com patrocínio do Natura Musical.
Para o show de sexta-feira (13), temas como Telhados de Paris, Verão em Calcutá, Relógios de sol e Cena beatnik surgem ao lado de novas composições como Para um, Capitão do mato e Nós é que vivemos - todas ainda inéditas em disco.