Porto Alegre, terça-feira, 03 de março de 2020.
Dia do Meteorologista.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Artes cênicas

Notícia da edição impressa de 03/03/2020. Alterada em 03/03 às 18h04min

Casa de Teatro celebra 10 anos

Ator e diretor Zé Adão Barbosa faz planos para o futuro da escola teatral

Ator e diretor Zé Adão Barbosa faz planos para o futuro da escola teatral


MARCO QUINTANA/JC
A história da Casa de Teatro de Porto Alegre é, em grande parte, a história de Zé Adão Barbosa. A escola de artes cênicas completa 10 anos nesta quinta-feira, 5 de março, mesmo dia em que o ator, diretor e professor chega aos 62 anos. "Aproveitamos a ocasião para inaugurar a casa, foi muito legal, a classe artística toda presente", lembra o artista. Uma década depois, ele mantém o mesmo entusiasmo em relação ao empreendimento - que, na verdade, é o projeto de uma vida.
A história da Casa de Teatro de Porto Alegre é, em grande parte, a história de Zé Adão Barbosa. A escola de artes cênicas completa 10 anos nesta quinta-feira, 5 de março, mesmo dia em que o ator, diretor e professor chega aos 62 anos. "Aproveitamos a ocasião para inaugurar a casa, foi muito legal, a classe artística toda presente", lembra o artista. Uma década depois, ele mantém o mesmo entusiasmo em relação ao empreendimento - que, na verdade, é o projeto de uma vida.
Com 40 anos de carreira e um currículo extenso, que inclui também trabalhos no cinema e na TV, além de diversos prêmios, Zé foi um dos fundadores do Teatro Escola de Porto Alegre (Tepa), onde permaneceu por 14 anos. Em 2010, em parceria com o então sócio Jeffie Lopes, partiu para uma nova empreitada. Em um velho casarão na rua Garibaldi, criou a Casa de Teatro, que acabou se tornando referência não só na Capital, mas no Brasil inteiro. O curso de formação de atores, desenvolvido inicialmente no Tepa junto com Daniela Carmona, revelou diversos talentos.
"É muito legal saber que conseguimos realizar um bom trabalho, e, com um grupo de professores renomados, criar um curso que possibilita um aprendizado forte, projetar uma carreira. Daqui saiu tanta gente boa", orgulha-se, citando nomes como Sheron Menezzes, Elisa Volpatto, Thainá Gallo e Leonardo Machado (já falecido), entre outros.
Há cerca de um ano, a Casa de Teatro se mudou. Dobrou o quarteirão e, hoje, se encontra na avenida Cristóvão Colombo, 400, bem pertinho do antigo endereço, em um colorido casarão onde, por décadas, funcionou a escola de dança da bailarina Tony Petzhold e, posteriormente, serviu de palco para outras atividades artísticas, inclusive do próprio Tepa. "Quando a Thais, neta da Tony, disse que o espaço ficaria disponível, tive uma epifania! Aqui tem toda a estrutura necessária, salões enormes, palco, secretaria...", afirma Zé, que não estava satisfeito com os rumos que o negócio na Garibaldi havia tomado.
A Casa de Teatro tinha se tornado um espaço bem-sucedido não só para as artes cênicas. Nos fins de semana, era possível avistar, da avenida Independência, filas enormes para entrar no local. "Em Porto Alegre, quando se abre um negócio, a gente não consegue dimensionar o tamanho das coisas: tudo pode se tornar um grande fracasso ou um grande sucesso. O café (Bertoldo) foi um sucesso absurdo. Virou ponto de encontro durante o Porto Alegre em Cena, o Palco Giratório do Sesc. Passaram por ali artistas das companhias de Pina Baush, Peter Brook... A casa ficou muito conhecida. Mas, ao mesmo tempo, a programação paralela, das festas, começou a atrapalhar a escola. E eu não queria ser dono de bar, queria ser dono de uma escola de teatro", argumenta.
No endereço da Garibaldi, onde divide a sociedade com Ana Cristina de Oliveira, Zé projeta o futuro. Pensa em trazer professores do eixo Rio-São Paulo para agregar novos conhecimentos aos alunos - além da formação de atores, a Casa de Teatro conta com outros cursos e oficinas, para todas as faixas etárias e interesses, não necessariamente artísticos. "Vamos imaginar uma turma de 20 alunos. Desses, 10 já têm certeza que querem ser atores. Dos outros 10, uns vêm para perder a timidez, porque precisam apresentar o TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) no final de ano, porque são advogados e têm medo de falar em público, são ou querem ser youtubers. E, dos 10 que não queriam ser atores, dois acabam sendo", diz. Um exemplo é Janaína Kremer. "Ela veio acompanhar um amigo que queria ser ator. Acabou fazendo uma oficina, depois o curso de formação e, hoje em dia, é uma fantástica atriz e professora de teatro", elogia.
Ainda em 2020, um sonho antigo vai se tornar realidade: a Casa de Teatro vai ganhar uma companhia própria. "Nos últimos anos, os alunos que se formam têm feito trabalho de monitoria das outras turmas, assistem às aulas, fazendo aquecimento juntos e, no final, até participando das montagens, mesmo já sendo formados!", revela. "Temos alunos que estão há dois anos trabalhando aqui. Criar uma companhia de teatro da casa é uma forma de possibilitar que eles atuem, participem de festivais", completa, destacando que, para agosto, espera encenar com a companhia 13 peças curtas baseadas na obra do dramaturgo norte-americano Tennessee Williams.
O planejamento não exclui uma nova mudança de endereço. "Meu sonho é ocupar um daqueles galpões do 4º Distrito. Em termos de aluguel, nem é tão inviável, o caro mesmo é equipar com a estrutura adequada. Quem sabe um dia", projeta.

Programação de aniversário

A Casa de Teatro está organizando uma série de atividades alusivas a seus 10 anos. Confira parte da programação, que ainda não foi fechada:
28/3
18h - Aula aberta com Zé Adão Barbosa
19h - Apresentação do espetáculo Destroia
21h - Coquetel para convidados
29/3
18h - Aula aberta com Larissa Sanguiné
20h - Apresentação do espetáculo Destroia
Bate-papo com convidado após apresentação
4/4
18h - Aula aberta com Carlota Albuquerque
20h - Apresentação do espetáculo Destroia
Bate-papo com convidado após apresentação
5/4
18h - Aula aberta com Everton Rodrigues
20h - Apresentação do espetáculo Destroia
Bate-papo com convidado após apresentação