Porto Alegre, terça-feira, 03 de março de 2020.
Dia do Meteorologista.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Música

Notícia da edição impressa de 03/03/2020. Alterada em 03/03 às 03h00min

Raquel Leão abre a programação do Chapéu Acústico

Cantora se apresenta nesta terça-feira na Biblioteca Pública

Cantora se apresenta nesta terça-feira na Biblioteca Pública


CAMILA DA CUNHA/DIVULGAÇÃO/JC
O projeto Chapéu Acústico, que acontece nas terças-feiras, às 19h, no Salão Mourisco da Biblioteca Pública do Estado (Riachuelo, 1.190), dedica os recitais de março à representatividade feminina na música. Quem abre a programação do Mês da Mulher é a cantora e compositora paraense Raquel Leão, nesta terça (3). O ingresso é por contribuição espontânea.
O projeto Chapéu Acústico, que acontece nas terças-feiras, às 19h, no Salão Mourisco da Biblioteca Pública do Estado (Riachuelo, 1.190), dedica os recitais de março à representatividade feminina na música. Quem abre a programação do Mês da Mulher é a cantora e compositora paraense Raquel Leão, nesta terça (3). O ingresso é por contribuição espontânea.
Radicada em Porto Alegre desde 2010, Raquel gravou o EP Nega, com influências musicais que vão desde o carimbó, o lundum e a cúmbia, ritmos de sua terra, até os cantos de terreiro, os batuques de preto, os tambores do Norte e do Sul. A partir do contato com músicos gaúchos, desde que chegou à Capital, o trabalho de Raquel foi misturando novos sotaques, que se entrelaçam no que ela define como sonoridade afro-amazônica.
Raquel percorre o caminho dessas sonoridades brasileiras no que ela chama de música afro-afetiva. No show Afro-afetividades, que reúne seu trabalho autoral com composições de músicos e amigos de Porto Alegre e do Pará, além de canções do "lado B" da MPB, ela estará acompanhada de Ricardo Cordeiro, compositor, violonista, cantor, arranjador, produtor e professor de música.