Porto Alegre, sábado, 26 de setembro de 2020.
Dia Nacional dos Surdos.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 26 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Centros culturais

- Publicada em 15h21min, 09/02/2020. Atualizada em 19h49min, 09/02/2020.

Gramado vai erguer seu primeiro teatro em parceria público-privada

Anúncio feito por Allan Lino era esperado há anos por músicos, atores e produtores

Anúncio feito por Allan Lino era esperado há anos por músicos, atores e produtores


RAFAEL CAVALLI/DIVULGAÇÃO/JC
Thiago Copetti, de Gramado
Uma lacuna na estrutura cultural de Gramado deverá ser suprida em breve. Entre os muitos parques temáticos já existentes e outras atrações, a cidade da serra gaúcha pretende abrigar também um teatro, o primeiro da cidade, com capacidade de 1,5 mil lugares. O anúncio foi feito durante o Gramado in Concert - Festival Internacional de Música, que ocorre até o dia 15 deste mês, com entrada gratuita.
Uma lacuna na estrutura cultural de Gramado deverá ser suprida em breve. Entre os muitos parques temáticos já existentes e outras atrações, a cidade da serra gaúcha pretende abrigar também um teatro, o primeiro da cidade, com capacidade de 1,5 mil lugares. O anúncio foi feito durante o Gramado in Concert - Festival Internacional de Música, que ocorre até o dia 15 deste mês, com entrada gratuita.
Na noite de sábado (8), após uma das cerca de 50 apresentações previstas no evento, o secretário municipal de Cultura, Allan Lino, anunciou algo esperado há anos por músicos, atores, produtores e, claro, por moradores e turistas. Hoje, diz Lino, a cidade tem apenas auditórios, mas nenhum palco profissional realmente idealizado para teatro, concertos e outras apresentações artísticas.
{'nm_midia_inter_thumb1':'', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5c6f03d777ac4', 'cd_midia':8634598, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/gif/2019/02/21/banner_whatsapp_280x50px_branco-8634598.gif', 'ds_midia': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'ds_midia_credi': 'Thiago Machado / Arte JC', 'ds_midia_titlo': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '280', 'cd_midia_h': '50', 'align': 'Center'}
De acordo com Lino, montar estruturas temporárias semelhantes por três meses, como no Natal Luz, tem um custo entre R$ 2 milhões e R$ 2,5 milhões. Com isso, calcula o secretário, o teatro se pagaria em cerca de dez anos, sem considerar todo o valor que pode agregar abrigando peças e espetáculo que hoje a cidade não tem como receber.
"Teríamos espaço para apresentar aqui peças como O Quebra- Nozes (balé compostos por Piotr Tchaikovski), para citar apenas um exemplo, e posso garantir que teremos interessados em trazer esses e outros espetáculos para cá", assegura Lino.
Para começar o projeto, o primeiro empecilho - o custo de fazer o próprio projeto - foi vencido com apoio da Universidade Feeevale, de Novo Hamburgo. A instituição ofereceu seus profissionais para elaborar o projeto, que teria uma custo de cerca de R$ 2,5 milhões caso o município fosse bancá-lo, diz Lino. A obra deverá ser erguida no entorno do centro de exposições ExpoGramado,
"Não é um projeto simples, porque além de todas as questões arquitetônicas próprias de um teatro, como tamanho de palco e altura, acústica, e outros, há questões estruturais da obra, como solo, planto diretor diretor da cidade e infraestrutura", explica Lino, fundador da Orquestra Sinfônica de Gramado (OSG).
Ao lado de Lino na defesa e no entusiasmo com o novo teatro está, por exemplo, o maestro Linus Lerner, diretor artístico do Gramado In Concert e da Orquestra Sinfônica de Gramado (OSG), e que divide seu tempo entre trabalhos dentro e fora do Brasil. Lerner foi o primeiro maestro brasileiro a comandar uma gravação da London Royal Phillarmonic Orchestra, em CD lançado neste ano.
Gramado, segundo Lerner, tem hoje a segunda maior orquestra do Estado (a primeira é a Ospa, de Porto Alegre), mesmo sendo uma cidade de apenas 30 mil habitantes. Em junho, Lerner levará a OSG para sua primeira turnê internacional, com concertos já confirmados em Portugal, França, Espanha e Itália.
"Formamos, neste seis anos de festival, não apenas músicos, mas público também, assim como atraímos turistas, profissionais e estudantes de música de todo Brasil e do Exterior, que vêm à cidade pagando suas próprias viagens, porque querem estar no Gramado In Concert", comenta Lerner, também diretor artístico e maestro do Southern Arizona Symphony Orchestra (EUA) e da Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte (OSG).
Comentários CORRIGIR TEXTO