Porto Alegre, quinta-feira, 23 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 23 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

cinema

- Publicada em 20h06min, 13/01/2020. Atualizada em 20h06min, 13/01/2020.

Associação dos Críticos do Estado destaca clássicos da sétima arte

Com 'Elefante', Gus Van Sant recebeu a Palma de Ouro em Cannes em 2003

Com 'Elefante', Gus Van Sant recebeu a Palma de Ouro em Cannes em 2003


HBO/DIVULGAÇÃO/JC
O duplo de um filme, ciclo da Sessão Accirs (Associação dos Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul), apresenta filmes que desdobram, comentam e refazem de diversas maneiras outras obras da história do cinema. A Cinemateca Capitólio Petrobras (Demétrio Ribeiro, 1.085) recebe nesta terça-feira (14), às 20h, a exibição de Elefante (2003), de Gus Van Sant, inspirado na obra homônima do britânico Alan Clarke. A sessão será comentada pelos integrantes da Accirs Paulo Casa Nova e Rafael Valles.
O duplo de um filme, ciclo da Sessão Accirs (Associação dos Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul), apresenta filmes que desdobram, comentam e refazem de diversas maneiras outras obras da história do cinema. A Cinemateca Capitólio Petrobras (Demétrio Ribeiro, 1.085) recebe nesta terça-feira (14), às 20h, a exibição de Elefante (2003), de Gus Van Sant, inspirado na obra homônima do britânico Alan Clarke. A sessão será comentada pelos integrantes da Accirs Paulo Casa Nova e Rafael Valles.
A obra norte-americana mostra um dia aparentemente comum na vida de um grupo de adolescentes de uma escola secundária de Portland, no interior dos Estados Unidos. Enquanto a maior parte está engajada em atividades cotidianas, dois alunos esperam, em casa, a chegada de uma metralhadora semi-automática.
Por este filme, retratando a tragédia real do massacre de Columbine ocorrido em 1999, o cineasta Gus Van Sant ganhou a Palma de Ouro e o prêmio de Melhor Diretor no Festival de Cannes de 2003.
Na ocasião, na Cinemateca Capitólio, também serão anunciadas as melhores produções de 2019 (curta e longa gaúchos, longas nacional e internacional, além do Prêmio Luiz César Cozzatti) votadas pelos críticos da associação.
Comentários CORRIGIR TEXTO