Porto Alegre, sábado, 25 de julho de 2020.
Dia do Escritor. Dia do Motorista .

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 25 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

cinema

- Publicada em 03h31min, 27/09/2019. Atualizada em 03h00min, 27/09/2019.

Longa alemão conta história de humorista e tragédias da vida

'O menino que fazia rir' é dirigido por Caroline Link, vencedora do Oscar por 'Nenhum lugar na África'

'O menino que fazia rir' é dirigido por Caroline Link, vencedora do Oscar por 'Nenhum lugar na África'


PANDORA FILMES/DIVULGAÇÃO/JC
Baseado no livro best-seller de Hape Kerkeling sobre sua infância, O menino que fazia rir é dirigido por Caroline Link, vencedora do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro por Nenhum lugar na África. O longa conta a emocionante história de Kerkeling, o maior comediante alemão de todos os tempos, que, ainda criança, descobriu que rir é o melhor remédio para superar os obstáculos e as tragédias da vida. E fazer os outros rirem é algo ainda mais poderoso.
Baseado no livro best-seller de Hape Kerkeling sobre sua infância, O menino que fazia rir é dirigido por Caroline Link, vencedora do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro por Nenhum lugar na África. O longa conta a emocionante história de Kerkeling, o maior comediante alemão de todos os tempos, que, ainda criança, descobriu que rir é o melhor remédio para superar os obstáculos e as tragédias da vida. E fazer os outros rirem é algo ainda mais poderoso.
Na trama, nos anos 1970, o garoto Hans-Peter vive com seus pais e seu irmão numa cidade do interior, na casa de seus avós. Curioso, ele gosta de observar as pessoas que frequentam a loja de sua avó e adora as reuniões e celebrações em família. Na escola, é incomodado pelos outros alunos por ser gordinho - então, decide utilizar essa característica física a seu favor para fazer comédia, imitando personalidades de TV, cantores e pessoas da comunidade.
Seu pai trabalha como carpinteiro e é bastante ausente, deixando os cuidados dos dois filhos a cargo de sua mãe, Margret, que, devido a uma sinusite crônica, precisa realizar uma cirurgia que a deixa sem sentir o gosto ou cheiro das coisas. Essa situação, somada ao stress diário da rotina de dona de casa, leva-a a um quadro depressivo.
Recusando ajuda médica, Margret tem o quadro agravado, o que faz com que a família se una e se envolva mais na vida de Hans-Peter. Querendo ver o seu bem, ele às vezes consegue arrancar um sorriso dela com suas apresentações cômicas, com paródias musicais. Devido à doença da mãe, Hans-Peter acaba se apegando mais aos avós, que o paparicam. Pouco antes de falecer, sua avó profetiza um esplêndido futuro para o garoto. E ela estava certa: Hans se tornou um premiado ator, apresentador e comediante adorado na Alemanha.
Comentários CORRIGIR TEXTO