Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 26 de agosto de 2019.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

Festival de Gramado

26/08/2019 - 02h02min. Alterada em 26/08 às 12h41min

Festival de Gramado repudia vaias e pedras de gelo contra ato do setor de cinema

Ato protestou contra a censura devido a restrições ao cinema com temática LGBT em edital de cinema

Ato protestou contra a censura devido a restrições ao cinema com temática LGBT em edital de cinema


EDISON VARA/PRESSPHOTO/DIVULGAÇÃO/JC
Vaias e pedras de gelo lançadas por turistas em Gramado contra artistas, diretores, produtores e outros profissionais de audiovisual que protestavam na rua coberta contra a política do governo Jair Bolsonaro para o setor levaram a organização do Festival de Cinema a se manifestar. Entre as  
Vaias e pedras de gelo lançadas por turistas em Gramado contra artistas, diretores, produtores e outros profissionais de audiovisual que protestavam na rua coberta contra a política do governo Jair Bolsonaro para o setor levaram a organização do Festival de Cinema a se manifestar. Entre as  
A organização do festival, em nota neste domingo (25), repudiou a violência na reação ao protesto que ostentou palavras contra a censura e críticas a restrições ao cinema com temática LGBT. "Pelo cinema contra a censura" dizia um dos cartazes.
A manifestação na sede de um dos maiores festivais latino-americanos ocorreu no tapete vermelho, na Rua Coberta, um pouco antes da entrega dos Kikitos. Muitos que apoiaram o ato subiram depois ao palco do Palácio dos Festivais para serem laureados.
Pessoas que estavam sentadas em mesas na área externa de restaurantes, que ladeiam a rua coberta, começaram a vaiar a atirar pedras de gelo. Havia crianças também no tapete vermelho, levadas pelos pais, e que ficaram sob a mira das pedras arremessadas. 
A nota oficial, assinada por um rol de instituições e patrocinadores, incluindo o Ministério da Cidadania, afirma que não admite "a violência como prática ou resposta a ideias e opiniões diferentes". E ressalta: "Como sempre fez em sua tela, o Festival de Cinema de Gramado acolhe, contempla e evidencia diferentes estéticas e opiniões, sendo historicamente um espaço para debates e manifestações". 
O protesto do setor de cinema contra medidas recentes do governo federal - algumas delas levaram o secretário especial de Cultura, o gaúcho Henrique Pires, a pedir demissão -, também subiu ao palco. Na hora de reunir os vencedores, o grupo abriu uma faixa com a frase: "Pelo cinema LGBT".     

Confira a íntegra da nota emitida neste domingo:

A cidade de Gramado e o Festival de Cinema têm uma história sólida, de fortalecimento e crescimento mútuo. São 47 anos ininterruptos de encontros que trazem à cidade atores, produtores e público do Brasil e América Latina para as mostras, os debates e outras atividades paralelas ligadas à cultura cinematográfica e ao mercado do audiovisual. Os dias em que acontece o Festival também mobilizam atividades paralelas, festas e shows, reforçando a vocação turística da cidade.
O último fim de semana do Festival é particularmente concorrido, enchendo a cidade de diferentes públicos, entre cinéfilos e pessoas que buscam outros eventos. Todos são bem vindos e o tapete vermelho do Festival é democrático. Os espaços em seu entorno são públicos e de livre circulação. Servem de atrativo para os que apenas querem ver artistas e também para os profissionais do audiovisual que acreditam na importância e na história do mais antigo e respeitado Festival de Cinema do Brasil.
Conviver com esta diversidade de motivos e desejos para estar na cidade é democrático e fundamental para a harmonia de tudo e todos. Como sempre fez em sua tela, o Festival de Cinema de Gramado acolhe, contempla e evidencia diferentes estéticas e opiniões, sendo historicamente um espaço para debates e manifestações. O que não se pode admitir é a violência como prática ou resposta a ideias e opiniões diferentes. Só a tolerância e o respeito seguirão fortalecendo a história da cidade, do festival, reforçando e saudando o convívio de todos.
Ministério da Cidadania, Secretaria de Estado da Cultura, Stone Pagamentos e Gramado Parks apresentam o 47º Festival de Cinema de Gramado. Lei de Incentivo à Cultura. Patrocínio: Stella Artois, Snowland, BRDE, Fundo Setorial do Audiovisual e Ancine – Agência Nacional do Cinema. Copatrocínio: Banrisul, o grande banco do sul. Apoio especial: Campari, SEMP TCL, Casa Aveiro. Apoio: Café 3 Corações, G2 Net Sul, Le Joli, Laghetto Hotéis, Lugano, Canal Brasil, Naymar Cia Rio, Miolo Wine Group, Stemac Grupos Geradores, Tecna PUC, Cristais de Gramado. Transporte oficial: KIA. Transportadora aérea ofical: Gol. Agência Oficial: Brocker Turismo. Apoio institucional: Museu do Festival de Cinema de Gramado, SIAV RS, ACCIRS, IECINE, APTC/ABD-RS, Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, Fundacine. Agente cultural: AM Produções. Promoção: Prefeitura de Gramado. Financiamento: Pró-Cultura/RS, Secretaria de Estado da Cultura, Governo do Estado do Rio Grande do Sul. Realização: Gramadotur, Secretaria Especial da Cultura, Ministério da Cidadania, Governo Federal, Pátria Amada Brasil.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia