Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 13 de agosto de 2019.
Dia do Economista .

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

Gente

13/08/2019 - 11h54min. Alterada em 13/08 às 11h56min

Morre João Carlos Barroso, de 'Roque Santeiro' e 'Zorra Total', aos 69 anos

Folhapress
O ator João Carlos Barroso morreu na noite de segunda-feira (12), aos 69 anos, segundo confirmaram duas sobrinhas e amigos do carioca. Segundo o ator Mario Cardoso, ele enfrentava uma batalha contra um câncer.
O ator João Carlos Barroso morreu na noite de segunda-feira (12), aos 69 anos, segundo confirmaram duas sobrinhas e amigos do carioca. Segundo o ator Mario Cardoso, ele enfrentava uma batalha contra um câncer.
Barroso fez nome na TV Globo e esteve em novelas como "Roque Santeiro", "O Bem Amado" e "Estúpido Cupido", e em humorísticos como "Zorra Total" e "Trapalhões". Ele também atuou como dublador, como quando deu voz a Arthur no filme "A Espada Era Lei".
O último papel de Barroso na TV foi como o delegado Mesquita na novela "Sol Nascente", de 2016 a 2017, na Globo. A sobrinha Ghis Lima, filha de irmão de João, confirmou que a morte aconteceu às 19h de segunda-feira. "Meu tio era a pessoa mais maravilhosa do mundo, sempre muito generoso e carinhoso, se dedicou à família em primeiro lugar."
João nasceu em 1950, no Rio de Janeiro e cresceu como um garoto que sonhava jogar futebol. Em 1961, com 11 anos, foi abordado por uma equipe de argentinos para fazer um teste para um filme que começariam a rodar, fez um teste e passou. Assim, esteve em Pedro e Paulo, ao lado de nomes como Jardel Filho, Francisco Cuoco e Jece Valadão. Os primeiros papéis renderam prêmios como ator revelação.
Passou a participar de programas na TV Tupi, TV Rio, TV Continental e TV Excelsior e no Grande Teatro Infantil. Na década de 1970, já na TV Globo, participou da última novela em preto e branco ("Estúpido Cupido") e da primeira a cores, quando foi filho de Lima Duarte, o Eustórgio, em "O Bem Amado". Ele foi o Toninho Jiló em "Roque Santeiro".
Desde a madrugada, colegas e amigos do ator prestaram homenagens nas redes sociais. Um deles foi André Gonçalves. "Barrosinho... que saudades... Meus sentimentos à família e aos amigos", postou.
Marcio Cesar Nogueira também escreveu sobre o amigo. "É com imensa tristeza que recebo esta notícia. Nosso grande amigo. João Carlos Barroso - Barrosinho, colega de profissão e de grandes lutas. Parceiro de futebol dos artistas inúmeras vezes, nos deixou. Que Deus o receba em seu reino de luz. Meus sentimentos à família."
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia