Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 01 de agosto de 2019.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

artes visuais

Edição impressa de 01/08/2019. Alterada em 01/08 às 03h00min

Artista Zoravia Bettiol realiza visita guiada em Bagé

Obras em exposição fazem parte de nove das 13 séries temáticas criadas por Zoravia

Obras em exposição fazem parte de nove das 13 séries temáticas criadas por Zoravia


NILTON SANTOLIN/DIVULGAÇÃO/JC
A xilogravura de Zoravia Bettiol: restauração, impressão e visibilidade termina hoje, em Bagé, e, para marcar o fim da exposição no Espaço Cultural do Museu Dom Diogo de Souza (Emílio Guilayn, 2017-2061), ocorre uma visitação guiada gratuita com a artista, às 14h. São 40 gravuras de matrizes restauradas que compõem a mostra.
A xilogravura de Zoravia Bettiol: restauração, impressão e visibilidade termina hoje, em Bagé, e, para marcar o fim da exposição no Espaço Cultural do Museu Dom Diogo de Souza (Emílio Guilayn, 2017-2061), ocorre uma visitação guiada gratuita com a artista, às 14h. São 40 gravuras de matrizes restauradas que compõem a mostra.
E o formato da gravura é umas das mais importantes expressões da obra de Zoravia, uma artista que conta, ainda, com proficiências na pintura, desenho, arte têxtil, performances e design. As obras em exposição fazem parte de nove das 13 séries temáticas criadas por Zoravia ao longo de sua carreira, como Primavera (1964), Namorados (1965), Gênesis (1966), Circo (1967), Romeu e Julieta (1970), Iemanjá (1973), Deuses olímpicos (1976), Kafka (1977), Os sete pecados capitais (1987), reunindo outras produções que vão até 1998.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia