Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 20 de maio de 2019.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

Cultura

19/05/2019 - 17h23min. Alterada em 20/05 às 10h52min

Noite dos Museus atrai mais de 100 mil pessoas a centros culturais de Porto Alegre

Praça da Alfândega, em frente ao Margs e ao Memorial do Rio Grande do Sul, registrou grande multidão

Praça da Alfândega, em frente ao Margs e ao Memorial do Rio Grande do Sul, registrou grande multidão


MARCELO G. RIBEIRO/JC
Guilherme Kolling
A organização da Noite dos Museus divulgou na tarde deste domingo (19) que cerca de 105 mil pessoas circularam pelos espaços culturais durante o evento. Mas nem era preciso esperar os números oficiais para saber que o público foi recorde. Quem foi a qualquer um dos pontos da cidade com atividades viu multidões disputando lugar não só nas filas para acessar os museus, mas também nas praças e ruas de acesso.
O epicentro das aglomerações foi o eixo Margs/Memorial até a Casa de Cultura Mario Quintana, no Centro Histórico de Porto Alegre. A Praça da Alfândega parecia uma quermesse, com gente de todas as idades disputando espaço nos bancos, pessoas caminhando e observando o movimento, além de apresentações musicais em um palco, sem falar na oferta de comida e bebida em bancas.
{'nm_midia_inter_thumb1':'', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5c6f03d777ac4', 'cd_midia':8634598, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/gif/2019/02/21/banner_whatsapp_280x50px_branco-8634598.gif', 'ds_midia': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'ds_midia_credi': 'Thiago Machado / Arte JC', 'ds_midia_titlo': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '280', 'cd_midia_h': '50', 'align': 'Center'}
A circulação de carros foi praticamente obstruída tamanha a massa de gente que se locomovia a pé pela Rua da Praia nos dois sentidos. Restaurantes, bares, cafés e lanchonetes ficaram lotados e não davam conta de atender tanta gente. Havia movimento até em estabelecimentos de ruas transversais. Ambulantes também faturaram bem e a disputa por banheiros e carros de aplicativos na região era grande.
Uma cena interessante era ver a afluência de gente a espaços como o Memorial do Rio Grande do Sul. A fila era enorme e as pessoas esperavam pacientemente para entrar. O mesmo se repetia em praticamente todos os espaços participantes da promoção – Margs, Museu Arte Contemporânea (na Casa de Cultura), Museu de Comunicação, Centro Cultural CEEE Erico Verissimo e até no Museu da Brigada Militar, que fica um pouco mais adiante e também aderiu à promoção.
Além das exposições, o público foi ver atrações musicais que, de hora em hora, se apresentavam nos museus ou em frente a eles. Teve show de maracatu, blues, MPB, jazz, choro, além de performances teatrais.
A aglomeração não se restringiu ao miolo do Centro. Também foi vista na rua Duque de Caxias (Pinacoteca Rubem Berta e Museu Júlio de Castilhos), no Centro Cultural da Santa Casa, no Museu da Ufrgs, no Planetário e na Fundação Iberê Camargo.
O Museu Joaquim José Felizardo, na rua João Alfredo, não teve tantas filas. Mas o movimento foi forte até a madrugada, fazendo jus ao boêmio bairro Cidade Baixa. À 1h de domingo, horário de término previsto para a Noite dos Museus, muita gente ainda via exposições e os funcionários do museu tiveram que, gentilmente, convidar o público a se retirar.
Um fator importante para levar tanta gente à rua foi a temperatura agradável e a noite de tempo bom e lua cheia. No ano passado, com chuva e frio, cerca de 20 mil pessoas participaram do evento, menos do que em 2017 (54 mil pessoas). Mas é bom lembrar que a primeira edição da Noite dos Museus, em 2016, já tinha sido um sucesso, com 16 mil participantes. O evento caiu no gosto do público e veio para ficar. Muita gente se perguntava se não seria o caso de promovê-lo mais de uma vez ao ano.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
GENESIO PEDRO BONDAN 20/05/2019 10h13min
muito interessante a noite dos museus, parabéns pela iniciativa