Porto Alegre, sábado, 01 de agosto de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 01 de agosto de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CINEMA

- Publicada em 01h02min, 21/02/2019. Atualizada em 08h23min, 21/02/2019.

Longa-metragem 'Todos já sabem' estreia nesta quinta-feira nos cinemas

Penélope Cruz e Ricardo Darín interpretam casal no suspense 'Todos já sabem'

Penélope Cruz e Ricardo Darín interpretam casal no suspense 'Todos já sabem'


PARIS FILMES/DIVULGAÇÃO/JC
Ricardo Gruner
Mesmo os cinéfilos que não acompanham com afinco a produção cinematográfica de polos menos comerciais do cinema internacional já estão acostumando-se ao nome do diretor Asghar Farhadi. Na última década, o iraniano teve dois de seus projetos premiados com o Oscar de melhor filme em língua estrangeira: A separação (2012) e O apartamento (2017). Após sessões de pré-estreia no fim de semana passado, seu novo longa-metragem, Todos já sabem, entra em cartaz nesta quinta-feira - e representa um passo adiante na popularização do diretor.
Mesmo os cinéfilos que não acompanham com afinco a produção cinematográfica de polos menos comerciais do cinema internacional já estão acostumando-se ao nome do diretor Asghar Farhadi. Na última década, o iraniano teve dois de seus projetos premiados com o Oscar de melhor filme em língua estrangeira: A separação (2012) e O apartamento (2017). Após sessões de pré-estreia no fim de semana passado, seu novo longa-metragem, Todos já sabem, entra em cartaz nesta quinta-feira - e representa um passo adiante na popularização do diretor.
Pela primeira vez, o cineasta dedica-se a uma narrativa que foge totalmente do seu país ou de questões tipicamente de seus conterrâneos. Todo gravado em espanhol, o trabalho reúne um elenco estelar em um misto de thriller e drama familiar. O enredo destaca a família de Laura (Penélope Cruz), uma espanhola que há anos vive na Argentina. De volta à sua pequena cidade natal para o casamento da irmã mais nova, traz consigo o filho pequeno e a filha adolescente - o marido, Alejandro (Ricardo Darín), fica na América do Sul.
A noite de festa, entretanto, termina em pesadelo quando uma das convidadas desaparece durante as comemorações. Em meio ao drama, ganha destaque o terceiro pilar do enredo, Paco (Javier Bardem). Antigo funcionário da família, o hoje vitivinicultor torna-se um dos protagonistas na tentativa de solucionar o caso.
Com uma rede de relações um tanto confusa, o roteiro precisa de vários minutos para estabelecer quem é quem na vida de Laura - mas essa condição não chega a ser um problema. Se, por um lado, acompanhar a rotina dos parentes festeiros na cidadela tem encanto próprio, por outro, ainda funciona como contraste ao drama vivido por eles algumas cenas depois.
Da metade em diante, Todos já sabem se transforma em um grande enigma que inclui desconfianças, manipulações e interesses escusos. Também roteirista do longa-metragem, Farhadi se sai bem ao conduzir o mistério - enquanto aponta para diversas direções, é bastante difícil imaginar o que realmente aconteceu. Diretor de fotografia conhecido por ser assíduo colaborador de Almodóvar, José Luis Alcaine é fundamental nesse sentido. Em uma cena na qual a família está reunida para uma refeição, por exemplo, todos são colocados em foco, como se cada um tivesse seu lado da história - e coubesse ao espectador tentar tirar suas conclusões.
O jogo de despiste, no entanto, também envolve um efeito negativo: quando a verdade vem à tona, a sensação é de que falta um certo peso, restando apenas um drama familiar que parece ter consequências mais grandiosas aos olhos do cineasta do que aos de alguns dos seus protagonistas.
Farhadi não nega os clichês - inclusive os utiliza de forma orgânica na rede de surpresas do filme -, mas evita que o trio de astros se entregue a eles. Dessa maneira, apenas tateia alguns aspectos da história, como a relação entre funcionários e chefes ou o significado de ações do passado - conflitos que poderiam ser um prato cheio para um elenco que tem talento indiscutível.
Melhor na construção do suspense do que no desfecho, o longa-metragem já havia tido uma recepção morna no Festival de Cannes de 2018, quando abriu o evento e concorreu ao Palma de Ouro. No Goya, premiação mais importante do cinema espanhol, teve sete indicações - mas nenhuma delas converteu-se em prêmio.
Já a título de curiosidade, a produção marca a nona vez em que Penélope Cruz e Javier Bardem participam juntos de um filme. Hoje casados, os dois começaram a filmografia em comum com Jamón, jamón (1992) e, recentemente, protagonizaram Escobar: a traição (2017).
Comentários CORRIGIR TEXTO