Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 26 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

Acontece

Edição impressa de 29/01/2019. Alterada em 29/01 às 01h00min

Paço dos Açorianos inaugura exposição 'Pintura é Presságio' nesta terça-feira

Improfundidades, de Adriana Córdova, é uma das obras de mostra coletiva

Improfundidades, de Adriana Córdova, é uma das obras de mostra coletiva


SMC PORTO ALEGRE/DIVULGAÇÃO/JC
Pintura é presságio, exposição com artistas locais e de fora do Estado, tem abertura nesta terça-feira (29), às 18h30min, no Porão do Paço dos Açorianos (Praça Montevidéu, 10). Vinculada a Incubadora de projetos artísticos, extensão da Ufrgs, a mostra gratuita tem curadoria de Adriane Hernandez e Kaue Nery.
Pintura é presságio, exposição com artistas locais e de fora do Estado, tem abertura nesta terça-feira (29), às 18h30min, no Porão do Paço dos Açorianos (Praça Montevidéu, 10). Vinculada a Incubadora de projetos artísticos, extensão da Ufrgs, a mostra gratuita tem curadoria de Adriane Hernandez e Kaue Nery.
Com a proposta de explorar uma produção recente no âmbito da pintura contemporânea, a exposição enfatiza a potência poética dos fatos pictóricos, bem como abrangendo a dimensão lúdica. Os trabalhos escolhidos estão associados a procedimentos conceituais como apagamento, sobreposição, montagem, repetição e colagem, gerando outros conceitos como ambiguidade, anacronismo e dessemelhança.
Pintura é presságio parte de uma premissa em que a pintura, como imagem em formação no olhar do outro, configura, tanto pelo seu caráter invasivo, quanto pela sua parcela de invisibilidade e em seu eco visual, um formato de presságio, sendo contemplado justamente naquilo que não é possível ser narrado.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia