Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 24 de outubro de 2018.
Dia das Nações Unidas - ONU.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

música

24/10/2018 - 08h34min. Alterada em 24/10 às 09h21min

Shakira volta a Porto Alegre depois de sete anos e se reafirma como artista completa

Show encerrou a passagem da 'El Dorado World Tour' no Brasil

Show encerrou a passagem da 'El Dorado World Tour' no Brasil


MARIANA CARLESSO/JC
Giana Milani
Depois de uma longa espera desde 2011, os fãs de Shakira puderam matar a saudade na noite de terça-feira (23), quando a cantora se apresentou na Arena do Grêmio, em Porto Alegre. Foi o segundo show da El Dorado World Tour no País - o primeiro foi no domingo (21), em São Paulo.
Com o estádio lotado, a colombiana mostrou pontualidade no horário e reafirmou a característica pela qual é conhecida: o carisma. Shakira interagiu com a plateia em português e chamou os fãs de amigos. Essa já era a impressão deixada por ela na última vez em que esteve na capital gaúcha, há sete anos, com a turnê The Sun Comes Out.
O show começou com a clássica Estoy Aqui, emendada com Donde está corazón?. Em She Wolf, a música seguinte, a cantora propôs uma brincadeira e convidou as mulheres a uivarem. Dois de seus single mais recente, Me enamoré e Chantaje, animaram os fãs, mas foi em Whenever, Wherever, canção de 2001, que todos vibraram.
Outros hits que entraram no repertório e deixaram um gosto de nostalgia foram Dare (La La La) e Waka Waka (This Time for África), lançados durante a Copa do Mundo no Brasil (em 2014) e na África do Sul (em 2010), respectivamente. Vale lembrar que eles foram responsáveis por tornarem Shakira um símbolo do mundial.
Quando Hips Don’t Lie começou, a artista cumprimentou parte do público, vestindo um traje estampado e leve, que permitiu que ela executasse os movimentos de dança que viraram sua marca registrada. Aos 41 anos e mãe de dois filhos, a cantora mostra-se capaz de reunir presença de palco, cantar, dançar, tocar instrumentos e conquistar os fãs com simpatia. Ou seja, é completa e, por isso, fez o público sentir tanto a sua falta desde 2011.

Como foi o repertório do show

  • Estoy aquí / ¿Dónde estás corazón?
  • She Wolf
  • Si te vas
  • Nada
  • Perro fiel
  • Underneath Your Clothes
  • Me enamoré
  • Inevitable
  • Chantaje
  • Whenever, Wherever
  • Amarillo
  • La tortura
  • Antología
  • Can't Remember to Forget You
  • Loca / Rabiosa
  • La La La (Brazil 2014)
  • Waka Waka (This Time for Africa)
  • Toneladas
  • Hips Don't Lie
  • La bicicleta
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia