Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 03 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 03 de setembro de 2020.
Notícia da edição impressa de 03/09/2020.
Alterada em 02/09 às 21h31min

Plantio de maconha

Osmar Terra argumenta que "nos EUA, quando aprovaram maconha medicinal, 90% das pessoas não tinham doença nenhuma"

Osmar Terra argumenta que "nos EUA, quando aprovaram maconha medicinal, 90% das pessoas não tinham doença nenhuma"


MARCELO G. RIBEIRO/JC
O projeto que tramita na Câmara dos Deputados e autoriza o plantio de maconha para fins medicinais não tem consenso dos parlamentares. O relator, deputado Luciano Ducci (PSB-PR), apresentou parecer favorável à proposta; porém, não há consenso sobre a aprovação do texto. "O projeto apenas regulamenta a legislação vigente", argumenta.
O projeto que tramita na Câmara dos Deputados e autoriza o plantio de maconha para fins medicinais não tem consenso dos parlamentares. O relator, deputado Luciano Ducci (PSB-PR), apresentou parecer favorável à proposta; porém, não há consenso sobre a aprovação do texto. "O projeto apenas regulamenta a legislação vigente", argumenta.

Sem ideologia da esquerda

Para o deputado federal gaúcho Maurício Dziedricki (PTB), "infelizmente, o assunto está dando margem para que a esquerda, hoje, construa a oportunidade de discutir o uso recreativo da maconha, que nós somos terminantemente contra". Segundo o parlamentar, "talvez o sentido que a gente vai apurar neste projeto é flexibilizar a forma de importação do canabidiol, que é tão importante para salvar vidas e, evitar que esse tema seja tratado com conteúdo ideológico, que faz mal à família brasileira".

De ilícita para lícita

Para viabilizar a comercialização de medicamentos que contenham partes da planta cannabis, o deputado Fábio Mitidieri (PSD-SE) argumenta, que "o objetivo é permitir a comercialização de medicamentos que contenham partes de componentes de maconha". A proposta altera a Lei 11.343/06, que institui o Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas.

Especialistas são contra

Duas reconhecidas autoridades em saúde, o coordenador da Frente Parlamentar em Defesa da Vida e da Família, deputado Diego Garcia (Pode-PR), e o ex-ministro da Saúde, e ex-ministro da Cidadania, o gaúcho Osmar Terra (MDB), têm opiniões semelhantes, contrárias a aprovação do projeto. Criticam, com veemência, a possibilidade de a proposta ser votada durante uma pandemia. "Com a receita, você vai poder fazer uso. É de uma irresponsabilidade tremenda num momento como esse, da pandemia, nós estarmos levando para plenário uma discussão que sequer passou por uma comissão especial", afirmou Diego Garcia.

Falsa doença

Osmar Terra argumenta que "na Califórnia, nos Estados Unidos, quando aprovaram maconha medicinal, 90% das pessoas não tinham doença nenhuma. Bastava dizer que estava com uma dor que o médico dava uma receita".

Associação defende

As associações foram a forma encontrada para viabilizar o acesso a medicamentos de elevado custo, como é o caso daqueles feitos à base de canabidiol. A Associação Brasileira Cannabis Esperança (Abrace) é uma delas, como explica o representante Cassiano Teixeira.
Comentários CORRIGIR TEXTO
Edgar Lisboa
Edgar Lisboa
Notícias da capital federal e informações sobre projetos do Congresso Nacional e medidas do Palácio do Planalto, especialmente com interesse do Rio Grande do Sul estão na coluna Repórter Brasília. O jornalista Edgar Lisboa traz um resumo diário do que de mais importante acontece na tramitação do Legislativo e na movimentação da bancada federal gaúcha.