Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 19 de junho de 2020.
Dia do Cinema Brasileiro.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 19 de junho de 2020.
Notícia da edição impressa de 19/06/2020.
Alterada em 19/06 às 03h00min
CORRIGIR

Sessões do Congresso Nacional

JEFFERSON RUDY/AGÊNCIA SENADO/JC
A epidemia da Covid-19 traz uma nova realidade para o mundo. As nações começam a rever seus "modus operandi" de administração nos gastos públicos. O Congresso Nacional (foto) alterou sua rotina. Antes da epidemia, as votações ocorriam somente nas terças e quartas-feiras e muitas vezes ficavam prejudicadas por falta de quórum, e agora, as votações ocorrem de segunda a sexta-feira, em alguns casos, inclusive, no sábado.
A epidemia da Covid-19 traz uma nova realidade para o mundo. As nações começam a rever seus "modus operandi" de administração nos gastos públicos. O Congresso Nacional (foto) alterou sua rotina. Antes da epidemia, as votações ocorriam somente nas terças e quartas-feiras e muitas vezes ficavam prejudicadas por falta de quórum, e agora, as votações ocorrem de segunda a sexta-feira, em alguns casos, inclusive, no sábado.

Maior produtividade

A implementação de sistemas virtuais para coleta de votos e pronunciamentos de parlamentares têm ampliando o quórum e permitido maior produtividade e menos espetáculo. Os gastos com parlamentares caíram pela metade nesse período de epidemia. Antes os gastos com passagens aéreas, diárias, alimentação, locação de veículos e assessoria eram muito maiores.

Mais tempo nas bases

Hoje os congressistas gastam menos, ficam mais tempo em suas bases conhecendo a realidade local e, ao mesmo tempo cumprem sua missão de legislar, votar, fiscalizar, comentar pelo sistema on-line. O quadro atual permite uma reavaliação do modelo de prestação de serviço público, não só o Congresso Nacional, mas também nos demais poderes, Executivo e Judiciário, se realmente é necessário todo esse aparato, toda essa estrutura pesada e muito cara.

Implementação do teletrabalho

O teletrabalho, em fase de implementação na maioria dos órgãos públicos, é um procedimento que pode levar à redução da necessidade de manutenção de sedes físicas e aluguel de imóveis. Quem sabe o Covid-19, nos deixe uma lição para rever nosso comportamento pessoal, social e de despertar para uma nova realidade. Passou o tempo de ostentação no setor público, chegou a hora de tomar medidas para que possamos ter um parlamento mais enxuto, mais econômico e mais produtivo, não só o Parlamento, mas todos os Poderes.

Menos sessões presenciais

O mínimo que nossos representantes do Legislativo, do Executivo e do Judiciário puderem fazer para reduzir seus custos e melhorar seus serviços é um avanço. As sessões do Congresso poderiam funcionar 21 dias on-line e 9 dias presencias. O cidadão espera isso e está se adequando à nova realidade. Os congressistas poderiam repensar a maneira de atuar do Parlamento. Cada um faz a sua parte.
 
Comentários
Edgar Lisboa
Edgar Lisboa
Notícias da capital federal e informações sobre projetos do Congresso Nacional e medidas do Palácio do Planalto, especialmente com interesse do Rio Grande do Sul estão na coluna Repórter Brasília. O jornalista Edgar Lisboa traz um resumo diário do que de mais importante acontece na tramitação do Legislativo e na movimentação da bancada federal gaúcha.