Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 20 de julho de 2020.
Dia do Amigo.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 20 de julho de 2020.
Notícia da edição impressa de 13/05/2020.
Alterada em 12/05 às 21h53min

Mapa da Fome

O Brasil está voltando ao Mapa da Fome, afirmou o chefe de agência da ONU, Daniel Balaban, chefe do Programa Mundial de Alimentos (WFP), no Brasil. Ele diz que 5,4 milhões de brasileiros devem passar para a extrema pobreza até o final de 2020. O economista alerta que com a pandemia do novo coronavírus e seus efeitos econômicos, o Brasil caminha para voltar ao Mapa da Fome.
O Brasil está voltando ao Mapa da Fome, afirmou o chefe de agência da ONU, Daniel Balaban, chefe do Programa Mundial de Alimentos (WFP), no Brasil. Ele diz que 5,4 milhões de brasileiros devem passar para a extrema pobreza até o final de 2020. O economista alerta que com a pandemia do novo coronavírus e seus efeitos econômicos, o Brasil caminha para voltar ao Mapa da Fome.

Não há unicidade no Brasil

"O grande drama que vejo é que não há uma unicidade, um comando que lidere o Brasil como um todo para sair desta pandemia de uma forma que haja menos mortes e menos infectados. Cada estado toma suas próprias decisões, os municípios também estão tomando". Na opinião de Daniel Balaban, "o governo federal tem uma linha difusa, não sabe se apoia ou não a Organização Mundial da Saúde (OMS), se apoia a quarentena ou não. A primeira coisa para enfrentar o problema é união para que todos enfrentem de maneira coordenada".

Distribuição de renda

"A notícia é triste", afirmou o deputado federal gaúcho Heitor Schuch (PSB), alertando que "a pandemia agrava ainda mais a situação do Brasil. Nos últimos anos aumentou a falta de emprego, não melhora a distribuição de renda para que as pessoas possam se emancipar". Na opinião do parlamentar, "não adianta só o Bolsa Família. Se não forem dadas condições para que as pessoas tenham renda, possam trabalhar, a situação tende a ficar cada vez mais grave". Segundo o deputado, "se continuar como está, com o Banco Central comprando títulos podres, a situação das empresas se agravará, com algumas até fechando e, por consequência, a situação de emprego piorando ainda mais".

Crimes contra a saúde

Dois projetos de lei que punem com mais rigor os crimes praticados contra a saúde púbica durante a pandemia da Covid-19, foram apresentados pelo deputado Jerônimo Goergen (PP). Falsificação de produtos destinados a fins terapêuticos ou licitações realizadas mediante elevação arbitrária, passam a ser considerados crimes hediondos. O primeiro deles se refere à falsificação de produtos destinados a fins terapêuticos, como vacina, e o segundo aborda as licitações praticadas mediante preços considerados abusivos, a exemplo do que está acontecendo na aquisição respiradores.

Regularização fundiária

A Câmara e o Senado precisam votar a MP 910, que muda regras para a regularização fundiária até o dia 19 de maio, ou ela perde a validade. O tema é polêmico e divide a opinião dos congressistas. O deputado federal gaúcho Alceu Moreira (MDB), coordenador da Frente Parlamentar da Agropecuária, fala da demora do governo em regularizar assentamentos antigos. O parlamentar argumenta dizendo: "temos um número gigantesco de famílias, 700 mil, que não têm título, não têm escritura pública".
 
Comentários CORRIGIR TEXTO
Edgar Lisboa
Edgar Lisboa
Notícias da capital federal e informações sobre projetos do Congresso Nacional e medidas do Palácio do Planalto, especialmente com interesse do Rio Grande do Sul estão na coluna Repórter Brasília. O jornalista Edgar Lisboa traz um resumo diário do que de mais importante acontece na tramitação do Legislativo e na movimentação da bancada federal gaúcha.