Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 11 de fevereiro de 2021.
Aniversário da Casa da Moeda do Brasil.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 11 de fevereiro de 2021.

Alterada em 11/02 às 21h49min

O agro que produz e preserva

No Brasil polarizado por ideologias, produzir e preservar são considerados opostos. Os produtores rurais, que dependem da terra para seu sustento, são considerados responsáveis pela destruição do meio ambiente. Uma informação equivocada que muitos grupos, talvez por desconhecimento, insistem em reverberar.
No Brasil polarizado por ideologias, produzir e preservar são considerados opostos. Os produtores rurais, que dependem da terra para seu sustento, são considerados responsáveis pela destruição do meio ambiente. Uma informação equivocada que muitos grupos, talvez por desconhecimento, insistem em reverberar.
Garantir a sobrevivência da população e buscar autossuficiência alimentar é prioridade de qualquer governo e, nesse sentido, nosso país está bem posicionado, pois produz seis vezes mais do que o necessário para alimentar os brasileiros.
Segundo dados do Ministério da Agricultura, em 40 anos, enquanto a área ocupada pela agricultura aumentou 33%, a produção cresceu em torno de 386%, graças a adoção de soluções tecnológicas e sustentáveis.
A verdade é que os agricultores e pecuaristas são os principais responsáveis pela preservação ambiental, como aponta um estudo Embrapa.
Na região Sul, por exemplo, enquanto as áreas de conservação mantidas pelo Estado não chegam a 4% do território, os produtores chegam a deter dentro de suas propriedades até 27% das áreas de preservação.
O instituto também apresentou números globais de preservação ambiental, comprovando que o Brasil alcançou o status de líder mundial de produção e exportação, utilizando apenas 30% de suas terras para a produção agropecuária.
Desse total, apenas 7,8% são ocupadas por lavouras, ou seja, onde são cultivadas toda a produção de soja, milho, trigo, algodão, frutas e demais culturas.
Os resultados dos investimentos e a contribuição do agro são percebidos em todos os setores: 20% da geração de empregos, 45% da exportação nacional, 21% de nosso Produto Interno Bruto (PIB).
Esses números só reforçam que nosso país caminha para ser o celeiro do mundo na produção de alimentos, com uma agricultura sustentável, eficiente e inclusiva.
Não são os discursos ideológicos que fazem nosso país avançar, mas o trabalho sério do homem do campo que demonstra a cada estação que o agro produz, preserva e enche de orgulho e esperança uma nação.
Jornalista
Comentários CORRIGIR TEXTO
Roberto Brenol Andrade
Roberto Brenol Andrade
A opinião dos leitores do Jornal do Comércio é publicada diariamente no espaço Palavra do Leitor.