Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 24 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 24 de julho de 2020.
Notícia da edição impressa de 04/11/2019.
Alterada em 04/11 às 03h00min

Turismo dos chineses

Fez muito bem o governo em liberar de visto os chineses e indianos, para visitarem o Brasil, seja como turistas ou a negócios (Jornal do Comércio, página 5, edição de 25/10/2019). O Brasil tem muitas atrações, mas pouco divulgadas. Parece mesmo que apenas as tragédias e desgraças ganham destaque, tanto nas mídias nacionais como nas estrangeiras. Aí, a busca é por outros destinos. As passagens aéreas estão cada vez mais baratas e é preciso trazer os chineses, que estão com uma economia forte e têm muito dinheiro para gastar. (Rodnei Gutembergui, Esteio/RS)
Fez muito bem o governo em liberar de visto os chineses e indianos, para visitarem o Brasil, seja como turistas ou a negócios (Jornal do Comércio, página 5, edição de 25/10/2019). O Brasil tem muitas atrações, mas pouco divulgadas. Parece mesmo que apenas as tragédias e desgraças ganham destaque, tanto nas mídias nacionais como nas estrangeiras. Aí, a busca é por outros destinos. As passagens aéreas estão cada vez mais baratas e é preciso trazer os chineses, que estão com uma economia forte e têm muito dinheiro para gastar. (Rodnei Gutembergui, Esteio/RS)
Do repúdio ao combate
Desde antes do processo de impeachment de Dilma Rousseff que o Brasil assiste atônito às falas absurdas do agora presidente Jair Bolsonaro e de sua família. Desprovidas de civilidade e sempre eivadas de ódio (em geral contra as minorias) e de cunho altamente desrespeitoso com as instituições republicanas, as palavras do capitão e do seu entorno destinam-se a atacar pessoas e a macular imagens, aumentando o clima de radicalização política que permeia o País. Entretanto, apesar de já estarmos acostumados com toda sorte de bobagens proferidas pelo clã de Jair Messias, as recentes declarações de Eduardo Bolsonaro são preocupantes e intoleráveis. Segundo este filho do chefe do Executivo Federal, "se a esquerda radicalizar, a gente vai precisar ter uma resposta. E uma resposta pode ser via um novo AI-5 (...)". Ora, Eduardo Bolsonaro é um deputado federal e, portanto, jurou obediência à Constituição de 1988, cujo conteúdo volta-se ao combate do arbítrio e de qualquer tipo de tirania, qual a existente no sombrio período 1964-1985 em nossa Pátria. Ameaçar as organizações sociais, amedrontar as oposições e tentar calar a opinião pública valendo-se de um instrumento tipicamente autoritário/totalitário denota o caráter extremista de quem, ao não tolerar as opiniões dissonantes, flerta com o fascismo e fere de morte a essência do Estado de Direito. Qualquer ode aos torturadores que, em nome da segurança nacional, cometeram graves violações de direitos humanos (a exemplo do coronel Brilhante Ustra, herói e exemplo dos atuais mandatários da Nação) são discursos de ódio escondidos sob o manto da liberdade de expressão. (Thieser Farias, representante Discente do Curso de Direito da Universidade Federal de Santa Maria/RS)
Casal Garotinho Rosinha Matheus
O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), mandou soltar os ex-governadores do Rio de Janeiro Anthony Garotinho e Rosinha Matheus. O casal foi preso na manhã de quarta-feira, 30, em cumprimento de ordem da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio, que cassou um habeas corpus concedido ao casal pelo desembargador Siro Darlan. Trata-se da quinta prisão de Garotinho e da terceira de Rosinha. A Justiça e os códigos penais brasileiros são mesmo uma piada. Desde adolescente, ouço que só ladrão de galinha vai preso. Está aí, para mim, mais uma prova. (Heldibrando Etchegaray Fontes)
Comentários CORRIGIR TEXTO
Roberto Brenol Andrade
Roberto Brenol Andrade
A opinião dos leitores do Jornal do Comércio é publicada diariamente no espaço Palavra do Leitor.