Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 15 de agosto de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Palavra do Leitor

Edição impressa de 15/08/2018. Alterada em 15/08 às 01h00min

Simpa

O Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa) promoveu ações durante as edições do Projeto Prefeitura nos Bairros, demonstrando descontentamento ao ver o Executivo estabelecendo um contato direto com a população. Mas quem o Simpa representa? Eis o perfil do servidor, segundo o Censo PMPA 2012: 75,98% possuem mais de 10 anos de serviço; 80,45% avaliam seus salários de forma positiva em relação ao mercado; 75,52% possuem plano de saúde; 82,99% têm casa própria; 50,94% consideram seu trabalho reconhecido. Porto Alegre, de 1991 a 2010, caiu de 5ª para 28ª posição entre as cidades brasileiras no ranking do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal da ONU. A prefeitura prevê um déficit de R$ 701 milhões em 2018 enquanto o servidor conquistou reconhecimento e salário. Não estou criticando benefícios, mas peço ao servidor que reflita sobre as ações que o Simpa promove em nome de todos eles. Devemos apoiar o prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB) pela coragem ao enfrentar o corporativismo dentro da prefeitura. Espero que os secretários tenham a mesma coragem, porque é evidente que alguma coisa está fora da ordem. (Gabriéu Guimaraens, arquiteto e executivo de Planejamento e Gestão)
Iluminação pública
Precisou vir um ex-chefe de Polícia de Los Angeles, nos Estados Unidos da América (EUA), para dizer o que todos sabem, mas ignoram: iluminação pública também é segurança. Para Michael Parker, Porto Alegre tem muitas áreas escuras, sem boa iluminação pública. Isso ajuda a criminalidade, afirmou ele. Está muito certo! (Nélia Reali, Porto Alegre)
Suíços
Os descendentes suíços no Rio Grande do Sul celebraram a data nacional daquele país, dia 1 de agosto, em um jantar festivo na Sociedade Filantrópica Suíça. Participei do evento, que acontece anualmente. Este último jantar foi uma maravilha, organizado pelos descendentes suíços, cuja imigração aconteceu no município de Carlos Barbosa, em 1875. (Hans Peter Gerwy)
Corrupção
A Operação Lava Jato tem quatro anos. Muitos inquéritos, investigações e prisões. Mas quando se esperava que as vigarices da corrupção diminuiriam, eis que o pessoal não se intimidou. Continuam a montar esquemas para lesar os cofres públicos. Os complôs em obras públicas chegaram no Rio Grande do Sul. Aliás, corrupção sempre houve, mas não na escala e com a desfaçatez dos últimos anos. Depois ficam brabos quando um general, descendente de índios, diz que herdamos uma certa indolência e malandragem dos colonizados índios e negros escravos, e a cobiça dos colonizadores europeus. Mas não é o que vemos há décadas, talvez séculos? (Marco Antônio Silveira, Porto Alegre)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia